Site reúne ações para a produção de equipamentos hospitalares com protocolo aberto


Foi lançada hoje, 8, a plataforma ProtegeBR, cujo objetivo é conectar iniciativas públicas e privadas que estejam produzindo suprimentos hospitalares e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de saúde. O projeto foi criado pela Olabi, organização social dedicada à produção de tecnologias, com o apoio do Google.org, braço filantrópico do Google.

Segundo a organização, a plataforma já reúne mais de 200 iniciativas locais e ajuda a conectar instituições de saúde a fornecedores e fabricantes de equipamentos, como ventiladores e respiradores. A ação tem o propósito de contribuir para o combate à Covid-19.

PUBLICIDADE

O programa mantém contato com secretarias municipais e estaduais de saúde e instituições que possuem envolvimento com essas demandas. Além, de convidar indústrias para fabricar equipamentos já prototipados, testados e validados por hospitais, com protocolos abertos que podem ser replicados. Com isso, a empresa colabora para o aumento da escala de produção.

EPIs e design aberto

Os equipamentos incluem máscaras caseiras, óculos de proteção, aventais, capotes impermeáveis, face shields (viseiras de acetato), ventiladores respiratórios, laringoscópios e tubos para respiração.

Os produtos têm saído de oficinas caseiras e laboratórios universitários coordenados por pesquisadores, ativistas, designers e engenheiros do mundo todo. O foco é estimular doações de suprimentos hospitalares para hospitais públicos, universitários e filantrópicos.

“Os laboratórios universitários e makers são iniciativas cidadãs que têm feito um trabalho muito relevante de prototipar e testar produtos, atendendo demandas em baixa escala. É um excelente convite para que a indústria e quem tem infraestrutura mais robusta mudem suas produções e se juntem a esta causa tão urgente”, disse Gabriela Agustini, diretora do Olabi e coordenadora da ProtegeBR. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Afiliada da Globo contrata Eutelsat para distribuir conteúdo em banda C planejada
Próximos Ericsson avisa que os contratos 5G na China trarão perdas no 2º tri