“Setor de telecom tem recursos. Só precisa que se destrave o modelo”, disse Navarro.


Photo: Robson RegatoEduardo Navarro, presidente da Telefônica Brasil, única empresa privada convidada para falar aos investidores estrangeiros em um painel sobre o Crescimento do Brasil a partir de Investimentos em InfraEstrutura, disse que o problema do setor de telecomunicações não é falta de recursos, mas sim o anacrônico modelo regulatório do setor que obriga a investimentos improdutivos em telefonia fixa. “Tão logo o governo faça os ajustes regulatórios necessários na legislação, os investimentos serão canalizados para a infraestrutura de rede óptica de alta velocidade e para a banda larga”, disse ele.

O evento, patrocinado pela Apex, pela Petrobras e pelo Banco do Brasil, foi organizado e mediado por profissionais do Financial Times no dia 20, quarta-feira, em Nova York. Participaram do painel, o presidente Michel Temer, diversos ministros e presidentes de empresas públicas.

Na ONU

No dia anterior, Navarro participou de outro painel, este na Assembleia Geral da ONU, também em Nova York. Promovido pela GSMA, em parceria com a Global Partnership for Sustainable Development Data (GPSDD), o evento reuniu executivos e autoridades de diversos países.

Durante o painel, Navarro apresentou um projeto de aplicação social de Big Data na cidade de São Paulo, o qual estabelece correlação entre os dados que trafegam na rede celular e as informações sobre os índices de poluição do ar disponibilizadas pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

A iniciativa busca soluções que permitam melhorar a qualidade do ar na cidade e reduzir emissões de CO2, gerenciando melhor o fluxo do tráfego, além de identificar regiões críticas onde não há sensores instalados pela Cetesb.

Anterior Portaria obriga fabricantes a incluir faixa estendida nos rádios até 2019
Próximos IBGE: telecom é o serviço que mais gerou receitas em 2015