Senado adia votação do PL das Fake News para a próxima 3ª-feira


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM/AP), determinou na noite de hoje, 25, adiar para a próxima terça-feira, 30, a votação do Projeto de Lei das Fake News, o PL 2630/20, na versão do substitutivo  apresentado pelo relator da matéria, senador Angelo Coronel (PSD-BA).

De acordo com o novo texto apresentado, foram amenizadas as regras para cadastramento, com a dispensa de CPF e CNPJ para os usuários e contas de celular, e de investimentos das empresas  de redes sociais e mensagens instantâneas, como a criação de data centers no Brasil.  Nesse caso, fica garantido o acesso das autoridades brasileiras ao banco de usuários instaladas no exterior.

Alcolumbre fez o adiamento atendendo apelos a favor do adiamento por  10 dos 20 senadores que foram convocados para se manifestar sobre a proposta. Em comum, todos concordaram com a criação de lei para regulamentar o combate às fake news no país. Houve discordância apenas sobre o dia ideal para a votação do texto.

Com a decisão, Alcolumbre reviu a sua própria de votar a matéria ainda hoje, após rejeitar sete pedidos de adiamento de votação. Pesaram as reclamações de parte dos senadores de que o texto final da nova versão havia sido apresentado pelo relator duas horas antes de começar a sessão por videoconferência.

Principais alterações

De acordo com a assessoria do relator, as principais alterações do relatório apresentado hoje são:
• Alterações nas definições, com destaque para a inserção de contas inautênticas;
• Retirada de dispositivos relacionados às propagandas eleitorais;
• Identificação de usuários apenas em casos suspeitos;
• Banco de dados de usuários acessados remotamente por autoridades brasileiras, sem necessidade de lotação física no Brasil; e
• Previsões para acesso de dados de usuários sempre via ordem judicial.

PUBLICIDADE
Anterior Nokia lança software para de fatiamento de redes 5G
Próximos Telebras realiza assembleia digital de acionistas em julho