Sem recuo: Huawei mantém estratégia global, apesar de restrições dos EUA


Guo Ping, presidente do conselho rotativo da Huawei

O presidente do conselho de administração da Huawei, Guo Ping, subiu ao palco hoje, 1º de março, no Mobile World Congress 2022 para reafirmar o posicionamento internacional da companhia e dizer que a Huawei mantém uma estratégia de alcance global.

Alvo de restrições e embargos dos Estados Unidos, a maior fabricante de equipamentos para redes móveis do planeta sofre com empecilhos para adquirir componentes feitos por empresas norte americanas e com o licenciamento de software criado no ocidente.

PUBLICIDADE

Nada disso, no entanto, vai impedir a Huawei de manter suas ambições globais e continuar a ser a principal fornecedoras de redes 5G e protagonista no desenvolvimento da 6G, avisou o executivo no primeiro painel do dia no evento.

“Alguns nos perguntam: a Huawei vai sair do mercado internacional? Nossa resposta continua a ser NÃO!”, enfatizou.

Segundo ele, a Huawei manterá os programas de formação de especialistas em sua tecnologia mundo afora, a atender clientes de outros países e, principalmente, a se engajar na padronização de tecnologias futuras, como o 6G, e criação de propriedade intelectual.

“Seguiremos com nossa estratégia global em padrões, talentos, cadeia de fornecimento, e muito mais. Continuaremos a ser um participante ativo de eventos globais”, falou Ping.

Fã de acrônimos – lembra do ROADS? -, a empresa elaborou novo plano que batizou de GUIDE. O termo incorpora as iniciais de desenvolvimento de produtos para o que chama de Gigaverso, Ultra-automação, Computação Inteligente, Experiência Sob-Demanda Diferenciada, e ESG. Em suma, soluções de alta capacidade de rede, altamente customizável e de menor consumo de energia.

PUBLICIDADE
Anterior Liquidação do Ceitec não foi melhor alternativa, diz ministro
Próximos Huawei anunciou dois Whitepapers no MWC22