Secretário-geral da UIT diz que banir a Huawei “não é justo”


O secretário-geral da União Internacional de Telecomunicações (UIT), Houlin Zhao, afirmou nesta sexta-feira, 5, a jornalistas em Genebra (Suíça) que não considera justas medidas para banir a fabricante Huawei do mercado de telecomunicações sem provas de que a empresa incorre em práticas abusivas.

“Eu encorajaria que fossem dadas oportunidades iguais para a Huawei disputar negócios, e ao longo do processo operacional, caso algo errado seja encontrado, então acusações poderiam ser feitas. Mas se não houver motivo para barrar a empresa, então acho que não é justo”, falou à agência de notícias Reuters.

PUBLICIDADE

Segundo ele, as acusações feitas pelos EUA contra a fabricante chinesa até agora não apresentam provas. A seu ver, as operadoras podem ser punidas se tiverem redes inseguras, então cabe a elas decidir que equipamentos usar. “A preocupação é delas, é o objetivo primário delas ter certeza de que os sistemas vão fornecer os serviços que as satisfaçam”, acrescentou.

Ele disse, ainda, que o imbróglio envolvendo Huawei e EUA não deve afetar o cronograma de padronização da 5G, que terá todas as especificações concluídas até outubro.

Anterior SES atinge marca de 20 satélites em órbita média
Próximos Vencedor do Programa PE Conectado recorre ao MP contra secretário que não homologa resultado