Satélite da Telebras terá obrigações com saúde e educação, diz ministro


shutterstock_ 3Dsculptor_tecnologia_satelite_infraestrutura_TV

O ministro Gilberto Kassab afirmou hoje, 15, que é equivocada a interpretação de que o satélite da Telebras será privatizado, ou entregue para a iniciativa privada. Segundo ele, com a licitação a ser realizada pela estatal, as operadoras que irão adquirir a capacidade do satélite (que custou R$ 2,1 bilhões de recursos públicos) terão que atender aos objetivos sociais do governo, que irão priorizar  levar a banda larga para as escolas e para os estabelecimentos de saúde.

“A Telebras não vai entregar para a iniciativa privada. Não acontecerá. 30% da capacidade do satélite é para Defesa. O resto será definido depois de entendimento com o Ministério da Saúde e Educação. Depois de atendidas essas duas prioridades, iremos atender todos os outros pontos do território nacional. O objetivo principal do satélite é no campo social”, afirmou Kassab.

Segundo ele, as obrigações de atendimento às escolas e postos de saúde – cujo mapeamento está sendo feito por esses dois ministérios – estarão expressas ou nas regras definitivas do edital, ou nos contratos a serem assinados com as empresas vencedoras.

 

Anterior Kassab propõe mudanças no FUST para 2020
Próximos Na "Lista de Janot", Gilberto Kassab defende as investigações