São Paulo vai lançar edital para mais 5 mil pontos de WiFi em 2022


Sarah Alcântara, Coordenadora de Projetos Estratégicos de Tecnologia da Informação e Comunicação CGTIC/SMIT – Prefeitura de São Paulo - Crédito: TV.Síntese
Sarah Alcântara, Coordenadora de Projetos Estratégicos de Tecnologia da Informação e Comunicação CGTIC/SMIT – Prefeitura de São Paulo – Crédito: TV.Síntese

Após lançar edital para inclusão de 4.000 pontos de WiFi gratuito em São Paulo, a prefeitura da cidade já planeja abertura para mais 5.000, em 2022. A informação é de Sarah Alcântara, coordenadora de projetos estratégicos de tecnologia da informação e comunicação CGTIC/SMIT, da Prefeitura de São Paulo. Ela participou nesta segunda do painel de abertura do Inovatic.

Sarah falou sobre a diferença entre os editais de 2021 e de 2022: “O  projeto inicial é de 4 mil pontos, que só trata de equipamentos públicos indoor. Já estamos trabalhando a modelagem para sair em 2022 com mais 5.000 localidades, desta vez outdoor”.

PUBLICIDADE

A coordenadora pontuou que a prefeitura da capital paulista busca trabalhar a questão da publicidade nestes locais, já que a iniciativa privada terá direito a anúncios digitais, mas deve querer também também inserções de propaganda física. A lei Cidade Limpa limita esse tipo de publicidade.

Antenas

Questionada sobre o andamento da Lei das Antenas, que está parada na Câmara de Vereadores, Alcântara disse apenas que a equipe da Secretária de Tecnologia tem ciência de que há pressão para que o projeto seja aprovado rápido e torce para isto.

A lei é de 2004 e, em 2020, foi invalidada pelo STF, que a considerou inconstitucional. Teve que ser readequada. Em junho de 2021, uma nova Lei das Antenas foi aprovada em primeira votação na Câmara Municipal de São Paulo. A votação em segundo turno, no entanto, não tem data para ser realizada.

O INOVAtic é um evento do Tele.Síntese e terá prosseguimento até quarta-feira, 27, com a participação de mais de 20 debatedores. Nessa versão, estão reunidos ISPs, fornecedores, distribuidores e operadoras que atuam nas regiões Sul e Sudeste do país. 

PUBLICIDADE
Anterior V.tal mantém previsão de aval da Anatel à venda do controle na virada do ano
Próximos Vendas de SVAs são garantia de sobrevivência para ISPs, dizem empresas