Rumores indicam a substituição de Pontes, do MCTIC


O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, em janeiro de 2019, pouco antes de assumir o cargo no governo Bolsonaro.

De acordo com notícias atribuídas a assessores do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro vem se aproximando do “centrão” a fim de reduzir as chances de ser alvo de um processo de impeachment. Conjunto de partidos que somam boa parte dos votos na Câmara dos Deputados, o “centrão” seria o fiel da balança na aprovação do processo político. Os rumores apontam o deputado Fábio Faria (PSD-RN), genro do empresário Sílvio Santos, do SBT, como articulador da mudança no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Ele, no entanto, nega. Publicou uma nota no Instagram negando seu envolvimento na articulação divulgada hoje, 27, pela coluna Radar, da revista Veja.

Fontes  do PSD procuradas pelo Tele.Síntese informaram que há conversas com o governo Bolsonaro desde março, mas ainda nenhuma definição.

PUBLICIDADE

Sem respaldo parlamentar

A saída de Marcos Pontes marcaria a terceira queda de ministros no governo do presidente em dois meses. O primeiro a sair neste período de pandemia foi Luiz Henrique Mandetta, que deixou o Ministério da Saúde para dar lugar ao médico Nelson Teich. Depois veio a saída de Sérgio Moro, que exige a recomposição política no Congresso. No caso de Pontes, a hipótese de ele entrar na dança das cadeiras é atribuída à falta de base parlamentar para blindá-lo  no cargo.

Pontes usou sua conta no Twitter para negar os rumores. Disse que a afirmação veiculada pela Veja é falsa: “Existem pessoas com a intenção de criar intrigas e desestabilizar uns aos outros”, resumiu.

PUBLICIDADE
Anterior Operadoras devem adotar estratégias "zero touch", diz relatório do MIT
Próximos Suspensão de MP do repasse de dados ao IBGE divide senadores