RNP contrata sistemas ópticos para iluminar rede da Chesf


Está aberta, até o dia 28, a RFP da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) para a contratação de sistemas para iluminar a rede da Chesf que, em três anos, vai interligar 39 campi de instituições federais do Nordeste. O projeto total, a ser desenvolvido no período de 2017 a 2019, é de R$ 42 milhões.

Shutterstock/Toria
Shutterstock/Toria

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), instituição mantida pelos ministérios da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações, da Educação e da Cultura, lançou uma RFP para contratar sistemas ópticos (DWDM) para iluminar a rede da Chesf que vai interligar os campi das instituições federais do Nordeste. Pelo acordo de cooperação técnica entre a Chesf e a RNP firmado em setembro, a empresa de energia cedeu sua infraestrutura sem ônus para a RNP construir uma rede de banda larga de alta velocidade de 100 Gigabits por segundo na fibra óptica do cabo para raio que passa sobre as linhas de transmissão.

O projeto vai ser desenvolvido no período entre 2017 e 2019, envolvendo um total de R$ 42 milhões, e beneficiará diretamente 39 campi de instituições federais atendidas pela rede acadêmica, em nove estados da região coberta pela rede da Chesf. Além dos campi (centros de pesquisa, faculdades, institutos superiores, hospitais de ensino e centros de educação tecnológica), o objetivo da RNP, como em suas redes metropolitanas, é firmar parcerias com outros entes, no caso os estados, por meio de suas secretarias de Ciência e Tecnologia, e também abrir sua rede para parceria com provedores regionais de acesso à internet.

PUBLICIDADE

Por ocasião da assinatura do convênio, Nelson Simões, presidente da RNP, disse que a rede a ser construída será “de classe mundial, o principal elemento de geração de conhecimento no país e no interior desses estados”. De acordo com Eduardo Grizendi, diretor de Operações da RNP, o primeiro trecho da rede começa a ser implantado em maio/junho do próximo ano, e vai interligar Fortaleza, Natal, Campina Grande, Recife, Maceió, Aracajú e Salvador.
Com a nova rede sobre as linhas de transmissão da Chesf, a RNP vai economizar R$ 24 milhões/ano com a contratação de circuitos de terceiros.

Saindo do sufoco

Depois de atrasar o pagamento de fornecedores de circuitos por vários meses, chegando até à situação limite, no meio do ano, de correr o risco de ter que cortar a internet dos campi do interior do país, a RNP finalmente recebeu, em outubro, o prometido reforço de caixa de R$ 98 milhões vindos do MEC. Com isso, começou a normalizar os pagamentos.

De acordo com seus executivos, é possível que consiga fechar o ano, com quase tudo em dia. No máximo, vão sobrar alguns acertos para janeiro, segundo uma das fontes. Hoje, 60% dos circuitos contratados pela RNP são fornecidos por provedores regionais e 40% por grandes operadoras.

Anterior MCTIC propõe reduzir Fistel do satélite de R$ 200 para R$ 26
Próximos Vilela afirma que seu PL sai da Câmara na próxima semana