Rio passa a ter a maior rede acadêmica de telecom da América Latina


Com investimentos de R$ 22 milhões, da RNP (Rede Nacional de Pesquisa) e da Faperj, foi ampliada a Rede Rio Metropolitana, que passou a ser a maior rede acadêmica metropolitana da América Latina. Ela conecta 51 instituições de ensino, pesquisa, hospitais e pontos de cultura espalhados em 85 pontos no Rio de Janeiro e tem mais de 300 km de extensão e capacidade de até 1,9 Tb/s.

A nova rede é uma realização da iniciativa Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep), dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC), coordenada pela RNP. Parcerias firmadas com o Metrô-Rio, Supervia, LAMSA, Light e com a Prefeitura do Rio de Janeiro viabilizaram a cessão de direito de passagem para o lançamento de cabos ópticos e o uso de infraestrutura existente (dutos e postes), maximizando o investimento na construção de infraestrutura adicional.

PUBLICIDADE

De acordo com a RNP, a Rede Rio Metropolitana permitirá o desenvolvimento de pesquisas científicas, a integração entre universidades e unidades de pesquisa, e a troca de informações utilizando capacidades de múltiplos gigabits por segundo. A infovia está conectada ao backbone da RNP, a Rede Ipê, que atualmente interliga cerca de 800 campi de universidades e centros de ensino, de pesquisa e de cultura no Brasil. Mantém ainda conexões com as redes acadêmicas na América do Sul, do Norte e Europa. (Da redação, com assessoria de imprensa)

 

PUBLICIDADE
Anterior Oi e Vivo cobram mais por serviço móvel e por banda larga fixa, diz Anatel.
Próximos RNP quer interconectar a Amazônia por cabo às margens dos rios