Regulador britânico já quer separar altas frequências para a 5G


O Ofcom, regulador britânico do setor de telecomunicações, iniciou hoje (16) consulta pública com representantes da indústria a fim de definir as bases técnicas para a implementação das redes de quinta geração (5G). O órgão ressalta que devem ser destinadas altas frequências para suprir a demanda por espectro. A estimativa é que até 2020 já existam redes com a nova tecnologia.

Segundo a Ofcom, o mais provável é que o 5G funcione acima dos 6 GHz. A tecnologia deverá ser capaz de entregar velocidades de download e upload entre 10 Gbps e 50 Gbps. O motivo para uso das altas frequências é a disponibilidade: existem bandas enormes disponíveis acima dos 6 GHz, e poucos livres ao redor das faixas usadas hoje para 2G, 3G e 4G (de 700 MHz a 2,5 GHz).

PUBLICIDADE

Mesmo assim, partes deste espectro é ocupado em pesquisas, transmissões por satélite e monitoramento climático. Por isso o órgão pede auxílio às empresas para reestruturar o uso da banda, prevendo a possibilidade de convivência dos usos atuais com os de telefonia e troca de dados móveis. As empresas terão até 27 de fevereiro para enviar suas ideias, inclusive de maneira confidencial.

PUBLICIDADE
Anterior Berzoini deverá compor toda sua equipe até março
Próximos Cabo óptico ligando São Paulo a Nova York custará US$ 500 milhões