Reforma tributária ameaça 9% dos lucros de TIM e Vivo


Analistas do banco BTG Pactual preveem queda forte do lucro da TIM e da Vivo em 2022 e 2023 se proposta de reforma enviada ao Congresso pelo ministro Paulo Guedes for aprovada. Texto determina tributação de dividendos e muda regras de juros sobre capital, muito utilizado pelas teles.

Os analistas do banco BTG Pactual publicaram hoje, 7, mais detalhes dos impactos financeiros que a reforma tributária proposta pelo ministro Paulo Guedes trará para o setor de telecomunicações, especialmente para as operadoras TIM e Vivo.

PUBLICIDADE

A proposta de uma segunda fase da reforma foi entregue ao Congresso em 25 de junho, e tratou essencialmente do imposto de renda. O texto elimina os benefícios fiscais hoje existentes nas operações com juros sobre capital; corta em 5% impostos para pessoa jurídica; e institui imposto de 20% sobre dividendos (atualmente dividendos são isentos).

O banco já havia estimado que a Vivo seria a principal impactada caso a reforma seja aprovada pelo Congresso Nacional da forma como se apresenta. A estimativa é que a Vivo pague 50% e a TIM, de 70% a 80% de seus dividendos via juros sobre capital próprio. Se houver a reforma, as duas empresas pagarão, em média, 6,5% mais impostos e o lucro cairá 9%.

O banco manteve a posição de que a Vivo seria a maior penalizada do setor de telecom. A operadora veria o lucro (net income) diminuir 8,9% em 2022 e 9,3% em 2023, caso a reforma seja aprovada como está. A TIM, por sua vez, teria queda no lucro de 8% e 8,6% nos mesmos anos.

Se para as operadoras de telecomunicações o impacto seria forte, para o setor de tecnologia da informação (TI) o impacto seria mais diverso. Haveria ganhadoras e perdedoras. A Totvs, por exemplo, sofreria aumento da taxação e redução dos lucros, como se vê na tabela. Já a Locaweb e a Bemobi teriam tributação reduzida e incremento da lucratividade.

Os analistas ressaltam que é impossível prever o trâmite do texto no Congresso. Afirmam ainda que, se a reforma não sair ainda este ano, dificilmente será aprovada em 2022, ano de eleições presidenciais.

PUBLICIDADE
Anterior Câmara aprova regime de urgência para PL de inteligência artificial
Próximos Triple Play Brasil é autorizada a emitir R$ 400 milhões em debêntures