Qualcomm compra a Cellwize por US$ 350 milhões


crédito: divulgação
crédito: divulgação

A Qualcomm anunciou a compra da startup israelense Cellwize Wireless Technologies. O valor investido na aquisição gira em torno dos US$ 350 milhões.

A companhia investiu na startup por meio de seu braço de investimento, Qualcomm Ventures. A aquisição vai servir para a compradora acelerar a adoção do 5G Open Ran e estimular a inovação da infraestrutura de rede na borda.

PUBLICIDADE

A ideia é que os recursos da plataforma de software de implantação, automação e gerenciamento de rede 5G da Cellwize fortaleçam as soluções de infraestrutura 5G da Qualcomm.

Soluções

Segundo a compradora, a adição da plataforma de automação e gerenciamento de RAN de vários fornecedores e nativa da nuvem da Cellwize, ao ser combinada com as ofertas de RAN 5G líderes do setor da Qualcomm Technologies deve fornecer:

a) Solução de software de automação e gerenciamento de RAN que acelerará o desenvolvimento da borda inteligente conectada por meio da implantação de redes públicas e privadas 5G. Isso reduz o tempo de implantação da rede e simplifica o gerenciamento da rede.

b) Solução programável que permite um ecossistema de aplicativos (marketplace) para diferenciação e personalização em vários setores verticais.

c) Solução horizontal que permite um gerenciamento simples do ecossistema de vários fornecedores para redes virtualizadas abertas.

d) Solução de arquitetura RAN flexível (RAN aberta, RAN virtualizada e RAN tradicional) e suporte multigeracional.

Aquisições

Há tempos a Qualcomm está de olho em empresas israelenses. Já adquiriu várias empresas no passado. Pagou, por exemplo, US$ 300 milhões pela Wilocity, em 2014, e US$ 45 milhões pela unidade de imagem da CSR Israel.

A Qualcomm também vem investindo massivamente na chegada do 5G. Há pouco mais de dois meses, em Barcelona, fez uma série de anúncios de seus projetos, incluindo parcerias em redes privativas 5G; e investimentos no desenvolvimento de chips para notebooks, e em equipamentos para redes móveis.

PUBLICIDADE
Anterior FTTR: Oi lança projeto para conectar os cômodos das casas com fibra
Próximos Mercado Livre amplia entrega no mesmo dia para mais 100 cidades do país