Quadros defende antecipação da queda da VU-M


Foto: Felipe Canova GonçalvesO presidente da Anatel, Juarez Quadros, defendeu hoje que o processo anual de revisão da VU-M, que trata do valor pago pelas interconexão nas ligações fixas para os celulares. Na sua avaliação, essa seria uma forma de dar uma sobrevida para a telefonia fixa que anualmente perde assinantes e tem apresentado queda sucessiva de tráfego.

Quadros explicou que a proposta não está totalmente formulada e pede às operadoras que apresentem um cenário com o impacto que teria sobre suas receitas com essa medida. A agência acabou de promover a redução anual referente ao período de 2017, estabelecendo que na região 1 o valor foi estabelecido em R$ 0,04928, na região 2 ficou em R$ 0,05387 e na 3 foi para R$ 0,02517.

PUBLICIDADE

A próxima revisão será feita em fevereiro de 2018 quando a região 1 terá uma tarifa de R$ 0,02606, a região 2 terá valor de R$ 0,02815 e a trës alcançará R$ 0,0 4141. A ideia de Quadros é pular essa revisão e adotar já no próximo ano os valores de 2019, que equivalem a R$ 0,01379 para a região 1, R$ 0,01471 na dois e R$ 0,02517.

O presidente da Anatel participou da abertura do 47º Encontro Tele.Síntese que está sendo realizado em Brasília e discute as formas de financiamento da banda larga.

PUBLICIDADE
Anterior Eleita a nova diretoria da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de TIC
Próximos Gleisi Hoffmann pede explicação ao governo por privatização do satélite da Telebras