Provedor de acesso deveria existir para todos, diz Valente


A figura do provedor de acesso à internet deveria existir para todos que oferecem o serviço de acesso à rede, ponderou hoje, Antônio Carlos Valente, presidente da Telefônica, em debate sobre a banda larga, realizado na Fundação Getúlio Vargas (FGV). A figura do provedor de acesso é questionada por especialistas em internet, mas “existem razões …

A figura do provedor de acesso à internet deveria existir para todos que oferecem o serviço de acesso à rede, ponderou hoje, Antônio Carlos Valente, presidente da Telefônica, em debate sobre a banda larga, realizado na Fundação Getúlio Vargas (FGV). A figura do provedor de acesso é questionada por especialistas em internet, mas “existem razões regulatórias e técnicas que justificam a existência do provedor de acesso”, afirmou o executivo.

PUBLICIDADE

Segundo Valente, a dinâmica do mercado de serviços de banda larga é “desafiadora e competitiva”, mas as regras deveriam ser iguais para todos que prestam o mesmo serviço. Ele ressaltou que a Telefônica segue estritamente a regulamentação determinada pela Anatel, e por isso mantém a figura do provedor de acesso, que em alguns casos chega a representar cerca de 30% do valor total do serviço de internet. (Da Redação)

Anterior Mercadante vai relatar projeto de Flexa Ribeiro
Próximos Desafios para a universalização da 2G e da 3G no Brasil