Programação regional só ocupa 10% do tempo das TVs


Um estudo realizado pelo Observatório do Direto à Informação, do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social (www.direitoacomunicacao.org.br), revela que a participação da programação regional é marginal nas emissoras brasileiras. A pesquisa analisou as programações de 58 emissoras em 11 capitais das cinco regiões brasileiras, constatando que as televisões públicas reservam, em média, 25,5% de …

Um estudo realizado pelo Observatório do Direto à Informação, do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social (www.direitoacomunicacao.org.br), revela que a participação da programação regional é marginal nas emissoras brasileiras. A pesquisa analisou as programações de 58 emissoras em 11 capitais das cinco regiões brasileiras, constatando que as televisões públicas reservam, em média, 25,5% de sua grade para conteúdos realizados em suas cidades,; já nas redes comerciais o índice é de 9,14%.

PUBLICIDADE

De acordo com o estudo, entre as emissoras comerciais, o melhor desempenho qualificado foi o da Rede Record, com média de 11,2% de produções locais. As redes SBT e Bandeirantes tiveram índices abaixo da média nacional, registrando índices de 8,6% e 8,56%, respectivamente. Já a Globo registrou a pífia média de 7% de programas regionais.

A pesquisa também fez uma análise dos conteúdos locais por gêneros. “Dentre os diversos tipos de conteúdo veiculados pelas TV os programas jornalísticos têm maior presença, somando 464 horas e 7 minutos. O segundo gênero com maior presença é o entretenimento, com 79 horas e 10 minutos, seguido pelos programas esportivos, com 74 horas e 51 minutos, e pelos culturais, que totalizam 74 horas e 40 minutos”, diz o texto divulgado. Em relação à programação regional por região, o melhor desempenho ficou com o Sul e Centro-Oeste, com médias de 13,92% e 11,66%, respectivamente. Sudeste e Nordeste registraram 9,8% e 9,19%, respectivamente. (Da Redação)

Anterior Ranking das cidades digitais
Próximos Anatel cria índice para medir qualidade do atendimento das teles