Profissionais de TI têm maior chance de emprego, diz estudo.


A maior quantidade de postos de trabalho que demandam diploma de ensino superior abertos entre 2009 e 2012 foi para as atividades relacionadas à tecnologia da informação. Dos mais de 300 mil postos abertos no período, 49,5 mil contemplam essa área, o que corresponde a 16% do total. Os dados são do estudo Radar: Perspectivas Profissionais – Níveis Técnico e Superior, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado nesta quarta-feira (3).

O Ipea observou que para as atividades de nível superior, no setor privado, em que há mais demanda, como tecnologia da informação, enfermagem e relações públicas, os salários de admissão foram mais altos do que os de demissão. Isso, para o Ipea, demonstra a escassez de profissionais no mercado e dá uma resposta ao fenômeno da rotatividade no Brasil, quando há muitas demissões. Em compensação, também existem muitas contratações nesses períodos, segundo pode ser verificado, mensalmente, nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

“Para essas ocupações, pode-se prever uma continuidade, no futuro próximo, dos aumentos salariais recentes, pois as empresas estão enfrentando dificuldades para substituir, nas mesmas condições salariais, os profissionais desligados”, informa o estudo.

PUBLICIDADE

Mas medicina é o curso superior que oferece mais vantagens profissionais, atualmente, segundo o estudo Radar do Ipea. O salário médio dos médicos ao longo da carreira, segundo o Ipea, é o mais alto: R$ 8,4 mil; seguido pelo dos empregados no setor militar e de segurança, R$ 7,6 mil; e dos profissionais em serviços de transporte (engenheiros de trânsito, especialistas em logística, pilotos de aviação, administradores de portos e aeroportos, por exemplo), R$ 6 mil. Os profissionais da computação estão no 16°, com salário de R$ 3,8 mil, ou menos da metade do que recebem os médicos.(Da redação, com Agência Brasil)

Anterior Polícia abre inquérito contra e-mail falso na Oi
Próximos Telebras pressiona fornecedores para implantar backhaul