Produção da indústria eletroeletrônica segue em queda


grafico-negativo-seta-executivo-descendoA produção física da indústria elétrica e eletrônica recuou 7,6% em julho, em relação ao mesmos mês de 2015. Essa retração foi consequência do recuo de 13,6% da indústria eletrônica e da queda de 3,1% da produção da indústria elétrica. A maior redução na área eletrônica ocorreu na produção de equipamentos de informática e periféricos, que atingiu 29,7%. E na área elétrica, destacou-se a retração de 11,3% nas lâmpadas e outros equipamentos de iluminação. Por outro lado, verificou-se incremento de 28,2% na produção de equipamentos de comunicação.

No acumulado de janeiro-julho de 2016, a produção industrial do setor eletroeletrônico diminuiu 17,5% em relação ao igual período do ano passado. Neste período, a produção da indústria eletrônica recuou 25,7%, em função das quedas em todos os seus subsetores, destacando a fabricação de equipamentos de informática e periféricos (-32,4%).

PUBLICIDADE

No acumulado dos últimos 12 meses do ano, a queda da produção da indústria eletroeletrônica atingiu 21,1%. Em julho de 2016, a produção da indústria eletroeletrônica (+2,7%) apontou taxa de crescimento superior à atingida pela indústria geral (+0,1%) ao comparar com o mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal. Esse comportamento também foi verificado em junho de 2016, quando a produção de bens eletroeletrônicos ampliou-se 3,0% e a indústria geral cresceu 1,3%, ambos comparados ao mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal (considerando a revisão mensal do IBGE).

Porém em relação a julho do ano passado, a retração da produção do setor (-7,6%) foi mais expressiva do que o recuo da indústria geral (-6,6%). No acumulado dos sete primeiros meses deste ano, a queda da produção do setor (-17,5%) permaneceu mais acentuada do que a da produção da indústria geral (-8,7%) e a da indústria de transformação (-8,0%), comparadas com o mesmo período de 2015. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Samsung amplia linha de smartphones fabricados no Brasil
Próximos Telefônica apresenta critérios para troca de concessão por investimento em banda larga