Procon-SP notifica aplicativos de entrega


O Procon-SP notificou o iFood, Loggi, Rappi e Uber Eats para que expliquem sobre as medidas preventivas de higiene e segurança durante a pandemia. Consumidores têm denunciado condutas irregulares por parte dos entregadores, como não usar a máscara ou usá-la incorretamente e não higienizar os equipamentos de uso manual (máquinas de pagamento).

PUBLICIDADE

As empresas de aplicativos de entrega deverão comprovar que oferecem orientação e treinamento aos seus entregadores e que fornecem materiais de segurança e higienização para os equipamentos de uso manual (como máscaras, álcool, entre outros). Deverão também informar quais canais de atendimento são oferecidos para esse tipo de denúncia e quais as providências adotadas ao recebê-las.

O Procon-SP pede que os fornecedores informem o número de funcionários (colaboradores) que fazem as entregas em todas as formas oferecidas – bicicleta, moto, etc.

As empresas deverão ainda demonstrar a tabela de preços de seus respectivos serviços e como são apresentadas ao consumidor; comprovar as formas de pagamento oferecidas (dinheiro, cartão de crédito, débito, plataformas online etc) e o momento em que o pagamento é efetivado (ao fazer o pedido ou a entrega).

“O objetivo, em primeiro lugar, é preservar a saúde do consumidor, assegurando que as medidas de prevenção ao contágio da covid-19 estão sendo tomadas. Quanto aos pagamentos, em razão de golpes aplicados, é preciso que as empresas informem sobre a política praticada a fim de garantir a segurança das pessoas contra esse tipo de ação”, afirma Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP.

As respostas devem ser encaminhadas até o dia 2 de fevereiro. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Reclamações sobre serviços de banda larga crescem 31,6% na Anatel em 2020
Próximos México anuncia licitação de blocos de espectro 4G