Presidente da Oi confirma sua saída da PT Portugal


O presidente da Oi, Zeinal Bava, confirmou ao mercado a sua saída da presidência do conselho de administração da PT Portugal e os cargos de administração que exerce em determinadas sociedades controladas pela empresa portuguesa. Em conferência com analistas, nesta quarta-feira (6), a alteração da governança corporativa da operadora portuguesa deve ser concluída nas próximas semanas.

Segundo Bava, sua dedicação se voltará para a integração das equipes, otimização das sinergias e no “turnaround” da Oi. “Vamos trabalhar para além da modernização das práticas da companhia”, afirmou.

PUBLICIDADE

O conselho de administração da Oi já aprovou propor a nomeação de Armando Almeida ao cargo de presidente do conselho da PT Portugal, bem como a cargos de administração em controladas. O novo presidente se reportará diretamente a Bava.

O conselho aprovou ainda propor a nomeação do Marco Schroeder, Flavio Guimarães e Eduardo Michalski aos cargos de administração na PT Portugal e determinadas controladas. Estes se reportarão diretamente ao administrador financeiro da Oi, Bayard Gontijo.

RioForte

Bava falou também do episódio do investimento da PT na RioForte, que acabou em calote de quase 900 milhões de euros. Segundo ele, as informações importantes já haviam sido detalhadas em fatos relevantes, mas adiantou que a direção da Oi agiu rápido para defender os interesses dos seus acionistas.

– É o acordo que foi possível chegar e no nosso ponto de vista, pode trazer as melhores perspectivas”, disse o executivo. Ele salientou que esse acerto ainda depende da aprovação de vários órgãos.

O acordo firmado entre os controladores da Oi e da Portugal para solucionar o problema da dívida da Rioforte com a companhia portuguesa prevê uma redução de 37,4% para 25,6% da participação da PT na CorpCo; a ampliação do prazo para a conclusão do processo de fusão (que estava previsto para outubro deste ano) e uma permuta de papéis.

Anterior Telecom Italia tem lucro semestral de 543 milhões de euros
Próximos Presidente do Cade disse que compra da GVT pela Telefónica, se concretizada, terá análise detalhada.