Prefeitura de São Paulo lança edital para 4 mil novos pontos de Wi-Fi público


Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A capital paulista terá 4 mil novos pontos de WiFi gratuito. Ao menos é o que pretende a Prefeitura de São Paulo, que, por meio da Secretaria de Inovação e Tecnologia (SMIT), lançou edital de credenciamento para a instalação desse total de novos pontos.

O programa WiFi Livre SP já possui 1.088 pontos espalhados pela cidade e o intuito, com essa nova fase, é fazer com que todas as escolas do Ensino Fundamental (do 1º ao 10º ano) e todas as unidades de Saúde do município recebam internet de graça para a população.

PUBLICIDADE

O credenciamento das empresas ficará aberto, inicialmente, por 60 dias (prorrogáveis), e a previsão é que os novos pontos comecem a ser instalados ainda este ano.

“A relação que se estabelece na assinatura do contrato é exclusivamente entre o município e a credenciada, não havendo qualquer vínculo ou relação de nenhuma espécie entre o Poder Público e a subcontratada”, diz o edital, publicado no Diário Oficial do município.

Sobre isto, o documento diz ainda que “a contratação de terceiros para prestação de serviços acessórios ao objeto do Edital, a exemplo da contratação de empresas para instalação de equipamentos, da aquisição de licenças de uso de softwares, dentre outras atividades correlatas, não caracteriza subcontratação”.

Parâmetros

O edital prevê parâmetros de velocidade de conexão, alcance do sinal e proteção de dados do usuário. O modelo de credenciamento do WiFi Livre SP estabelece que a empresa credenciada pode utilizar publicidade digital, o que quer dizer que o usuário assistirá um anúncio antes que o sinal de internet seja liberado.

A Prefeitura de São Paulo será responsável por prover  infraestrutura elétrica necessária para a instalação dos equipamentos: poste primário nas localidades cuja infraestrutura elétrica seja aérea e/ou ponto de alimentação elétrica inicial em locais que o fornecimento elétrico seja feito por via subterrânea.

A credenciada poderá se credenciar para ofertar o serviço em quantos lotes julgar pertinente.

O edital e seus anexos se encontram no endereço eletrônico http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br.

Sugestões

O secretário Juan Quirós conta que o edital ficou aberto à consulta pública por 30 dias. Segundo ele, tanto as sugestões da população sobre instalação do WiFi Livre em localidades onde não há internet, assim como os pedidos de redução do tamanho das áreas dos lotes e alterações técnicas que foram solicitadas pelas empresas, foram atendidas.

“A pandemia mostrou que inclusão digital é a nova fronteira da inclusão social. Cidadãos conectados têm mais possibilidades de conseguir trabalho e gerar renda, e isso é fundamental neste momento de retomada das atividades”, diz Quirós.

Quirós cita um estudo da PriceWhatherhouse Coopers, realizado este ano, que concluiu que o simples fato de uma região carente receber sinal de internet pode aumentar em até 15% a renda das pessoas. “A tecnologia que importa é a que transforma a vida das pessoas”, conclui.

 

Anterior Explosão de dados 5G nos próximos anos é ponto de atenção
Próximos Investimentos das Insurtechs colocam pressão nas seguradoras