Preço da fusão AT&T/Time Warner: venda da CNN?


shutterstock_Owen Fitzpatrick_radiodifusao_conteudo_antenaCirculam no mercado norte-americano fortes rumores de que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos estaria exigindo a venda da CNN, controlada pela Time Warner, para aprovar o grande negócio do mercado de comunicações que vem sendo costurado há meses: a compra da Time Warner, gigante de mídia, pela AT&T, gigante das telecomunicações, criando a maior empresa convergente de comunicações daquele país.

Em função das especulações, as ações da Time Warner caíram hoje, 8, – 5,2%, já que a Turner, que detém a CNN, foi destaque no último relatório de ganhos da Time Warner, onde os assinantes cresceram e as receitas aumentaram mais de 6%. A divisão respondeu por um terço das receitas.

PUBLICIDADE

Outras fontes da indústria da mídia veicularam informações de que o Departamento de Justiça estaria exigindo não só a venda da CNN, mas de toda a divisão da Turner, ou da Direct TV.

Segundo reportagem do Financial Times, a AT&T estaria disposta a recorrer à Justiça contra o Departamento de Justiça com o argumento de que o negócio não fere nenhuma lei relativa à defesa da concorrência ou de concentração de mercado. Mas, hoje, em uma conferência com investidores em Nova York, John Stephens, CFO da AT&T, reconheceu que “o fechamento do negócio agora é incerto”.

O motivo, segundo pessoas próximas às negociações e aos humores do governo Trump, é a CNN. Trump não gosta da cadeia de TV, nem de seus comentaristas e noticiários. Várias vezes entrou em conflito com a TV, que chama pejorativamente de “fake news”. (Com noticiário internacional)

PUBLICIDADE
Anterior Pós-pago da TIM terá franquia adicional apenas para streaming de vídeo
Próximos Ericsson diz que deve continuar a encolher até 2020