Pacote de exportação, lançado hoje, tem cinco pilares


O Plano Nacional de Exportações, lançado hoje, 24, pelo governo,  está estruturado em cinco pilares: 1) Acesso a mercados, 2) promoção comercial, 3) facilitação de comércio, 4) financiamento e garantias às exportações e 5) aperfeiçoamento de mecanismos e regimes tributários para apoio às exportações. Segundo o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Armando Monteiro, O novo plano, que terá vigência até 2018, unifica pela primeira vez todas as ações e estratégias do país a para exportação de bens e serviços.

O governo espera aumentar as exportações brasileiras com a ampliação do número de empresas que vendem para outros países, inclusive micro, pequenas e médias. O plano também prevê medidas específicas para exportações do agronegócio e para recuperação das vendas externas de produtos manufaturados.

PUBLICIDADE

Em seu discurso, a presidente Dilma Rousseff defendeu a exportação de serviços e o BNDES, em um posicionamento indireto sobre as recentes críticas de senadores da oposição ao financiamento de empreiteras para atuar no mercado externo. “Continuaremos financiando a exportação de serviços, como é usual na maioria dos países, mobilizando para isto nosso banco, o BNDES”, disse a presidente, que completou: “O mundo inteiro cobiça este tipo de exportação”.

O plano prevê medidas tributárias, de desburocratização e creditícias. Segundo Dilma, o objetivo é, até o final deste ano, ter abolido o uso de papéis nas operações de comércio exterior. O Brasil é a sétima economia do mundo, mas ocupa o 25º lugar no ranking de exportações.

PUBLICIDADE
Anterior Banda larga fixa no Brasil tem 3,4 Mbps de velocidade média
Próximos Obama diz que EUA não espionam mais autoridades francesas