Plano da Telefônica Brasil é criar joint venture em telemedicina


O presidente da Telefônica Vivo, Christian Gebara, afirmou hoje, 12, na conferência dos resultados trimestrais da operadora, que o acordo vinculante firmado com a Teladoc para lançamento de um app de saúde prevê a criação no futuro de uma joint-venture entre a operadora e o grupo norte-americano de telemedicina.

PUBLICIDADE

O executivo afirmou, porém, que tal plano ainda deve demorar para se concretizar. No momento, o foco está no lançamento da plataforma com a parceira. O modelo de negócio inicial não foi revelado. A joint venture será criada, afirmou, “dependendo dos resultados alcançados”.

Segundo ele, a intenção é criar um “ecossistema de saúde” em torno da Vivo. O app Vida V vai ter serviços da Teladoc, mas poderá agregar de outros fornecedores também. Será voltado à população com menor poder aquisitivo que não disponha de plano de saúde privado. Terá ainda conteúdo relacionado a saúde e bem-estar.

A ferramenta, como anunciado ontem, permitirá a realização de consulta médicas remotas, trará descontos em mais de 27 mil farmácias, terá recurso de pré-diagnóstico baseado em inteligência artificial e para emissão de atestados, pedidos de exames e prescrições digitais.

A iniciativa faz parte das buscas por diversificação de negócios da operadora, que este ano anunciou também a possibilidade de se tornar sócia da Dotz, empresa que explora serviços de recompensa ao consumidor com carteira de 48 milhões de usuários, e a CDF, que vende serviços de suporte ao cliente, em torno do qual funcionará o Vivo Guru e ofertas de casas conectadas.

Além dessas iniciativas, a Vivo também aposta no Vivo Pay e no Vivo Money para ter presença nos mercados bancário e financeiro, e anunciou no trimestre parceria com o banco Itaú para lançar seu primeiro cartão de crédito, o Vivo Itaucard.

Anterior Angola Cables atualiza cabo Monet com solução de rede da Ciena
Próximos Vivo economizou R$ 200 milhões com uso de robôs