“Piauí Conectado” irá expandir fibra óptica para mais 118 municípios


A PPP (Parceria Público-Privada) que deu origem ao projeto “Piauí Conectado”, em 2019, já atendeu 101 municípios piauienses e deverá, até o final de 2021, chegar a mais 118 municípios, oferecendo internet em banda larga através de uma rede de fibra óptica a todo o Estado. Os resultados da iniciativa foram apresentados hoje, 25, durante mesa redonda  sobre “As políticas de Inovação dos Estados e Centros de Pesquisa”, promovido na Feira de Negócios e Congresso Online INOVAtic, promovida pelos portais Tele.Síntese e Ponto ISP.

Em um ano e cinco meses de execução, devido ao menor custo diferente dos demais sinais de internet, o projeto  já gerou uma economia de cerca de R$ 15,44 milhões para os cofres públicos do Piauí, e o serviço já impactou positivamente a vida de quase 1,32 milhões de pessoas. O objetivo é levar internet de qualidade que atenda as demandas da população piauiense nas três principais áreas da administração pública: educação, saúde e segurança.

De acordo com o diretor-feral da Agência de Tecnologia da Informação do Piauí, Antônio Torres da Paz, as ações de expansão da internet seguiram mesmo durante a pandemia e hoje cobrem 85% da população.

PUBLICIDADE

WiFi livre

Além da banda larga oferecida aos órgãos público,  o projeto também prevê a instalação de pontos de WiFi para a população, inclusive em praças públicas. Paz acrescentou que os 101 municípios do Piauí já interligados são atendidos por uma rede de 5.000 km de fibra, grande parte aérea e a parte subterrânea das rodovias.

“A rede é usada para interligar os órgãos públicos com o menor link de 30 Mega, 24 horas, 7 dias por semana. Além desses pontos em municípios, são 1.500 pontos em órgãos públicos como delegacias, hospitais, escolas e outros órgãos do governo. Nós temos também 199 pontos de WiFi livre para a população”, enumerou.

Segundo o diretor, os pontos públicos são instalados em praças para facilitar o acesso dos moradores e também para auxiliar as prefeituras na realização de eventos. Além disso, o executivo destacou que o diferencial dessa PPP está no acompanhamento de uma fiscalização independente, que garante a qualidade do serviço.

“Nós temos um agente verificador, uma outra empresa que trabalha para o Estado e que faz a verificação da entrega do serviço. Então, se um ponto de internet cair, nós temos até x horas para colocar ela em funcionamento. Se ela ficar x hora a mais sem internet, a empresa é penalizada. Então, ela vai sempre correr para entregar o melhor”, pontuou.

O projeto inicial que começou em julho de 2019, tinha prazo de 30 meses para ser concluído, mas a empresa responsável irá antecipar a entrega da última instalação para julho de 2021, totalizando a rede de internet do Piauí em 24 meses.

Anterior Inovação terá novos incentivos fiscais a semicondutores e marco legal das startups
Próximos ISPs querem conectar população de baixa renda com 5G SA um ano depois do leilão