Empresas de TI selecionam poucas pessoas com deficiência, diz pesquisa


Crédito: divulgação. PcDs

Entre os meses de janeiro e maio de 2021, empresas de tecnologia enviaram pouco mais de 300 convites para pessoas com deficiência (PcDs) participarem de processos seletivos de emprego. Isso representa apenas 1,6% dos envios gerais realizados no mesmo período pela plataforma, revela uma pesquisa da startup Revelo, de recrutamento em tecnologia da América Latina.

O número está bem abaixo da proporção de brasileiros com deficiência. De acordo com o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 24% da população declarou ter deficiência mental ou algum grau de dificuldade em atividades como enxergar, ouvir, caminhar ou subir degraus.

Por outro lado, o estudo da Revelo aponta que o problema não é falta de empregos na área de tecnologia. Para cada candidato, existem duas vagas no segmento. O levantamento considerou a base 24 mil empresas e 43,4 mil convocações.

Da pequena fatia de convocações, a carreira de desenvolvedores foi a que mais buscou PcDs, responsável por 79,4% dos convites enviados. Em seguida, estão business intelligence, com 5,29%, marketing online, com 3,11% e design, com 1,65%.

As contratações de portadores de necessidades especiais também são maiores no setor de desenvolvimento, com 76,16% de representatividade. O ramo de negócios apresentou 4,65%, enquanto TI traz 4,26%. Os cargos com a menor taxa de PcDs são business intelligence (3,10%), marketing online (2,71%) e design (2,33%).

“Investir na contratação desses profissionais também é contribuir para uma sociedade mais justa e igualitária. No entanto, não basta a contratação. É preciso oferecer um clima organizacional planejado e adequado às necessidades dos PcDs”, destaca o cofundador da Revelo, Lucas Mendes. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Twitter vende plataforma de anúncios móveis
Próximos Start up Eleva chegará ao mercado com vale telecom