Paulo Alvim assume MCTI


O secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Alvim será o novo ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações – o MCTI. Marcos Pontes sai juntamente com outros nove ministros do governo Bolsonaro que vão disputar as eleições deste ano.

Paulo Alvim assume MCTI. foto: Tele.síntese
Paulo Alvim assume o MCTI Foto: Gabriel Jabur- Tele.Síntese

O secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Alvim, assume o MCTI. A solenidade de transmissão de cargo, quando o astronauta Marcos Pontes despede-se do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações para tentar uma vaga na Câmara dos Deputados será hoje, 31, à tarde. Saem do governo Bolsonaro para disputar as eleições 10 ministros, que serão substituídos, em sua maioria, por executivos que ocupavam cargos do segundo escalão. No Ministério das Comunicações nada muda, com Fábio Faria à frente da pasta.

Ontem, Marcos Pontes foi mais um ministro que convocou cadeia nacional de rádio e TV para se autopromover antes de iniciar a disputa eleitoral. Em seu pronunciamento, de ontem, ressaltou o estímulo à produção de uma vacina 100% nacional, com recursos do ministério como uma conquista do governo, mas não conseguiu apagar o fato de que no início da pandemia do Covid 19 caminhava sem máscara nos eventos oficiais e chegou a divulgar o uso de remédios sem qualquer eficácia, como o vermifugo Annita.

PUBLICIDADE

A sua gestão foi marcada pela demissão extemporânea do presidente do INPE, devido à divulgação de imagens satelitais que confirmavam o aumento do desmatamento no país; e pela contínua perda de recursos para o setor e perda de poder, quando foi desmembrada a sua pasta, para a recriação do Ministério das Comunicações. 

A redução dos recursos para pesquisa e desenvolvimento do setor pode ser confirmada, por exemplo, através das verbas do  CNPq, que teve em 2021 o menor orçamento para pesquisas em duas décadas: R$ 1,2 bi, pouco mais da metade do que tinha no ano 2000. Nos últimos dez anos, a queda de bolsas foi de 32% para os mestrados e de 20% para os doutorados.

Marcos Pontes preferia ser chamado de astronauta à ministro e entre as iniciativas que pretendeu destacar em sua gestão estão os recursos destinados para o programa espacial brasileiro, quando, anunciou “o maior investimento da história”.

 

PUBLICIDADE
Anterior Lucro líquido da Desktop chega a 155% no 4º trimestre de 2021
Próximos PL das fake news é prejudicial aos provedores de internet