Para Paulo Bernardo, venda da PT é boa notícia, pois aumenta liquidez da Oi.


A venda da Portugal Telecom pela Oi é bom para a operadora brasileira, pois melhora as condições da empresa, a sua liquidez, e aumenta os investimentos no Brasil, afirmou hoje o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Mas ele voltou a se manifestar contrário à consolidação do mercado brasileiro.

Rio de JaneiroA venda da Portugal Telecom  pela Oi é bom para a operadora brasileira,  pois melhora as condições da empresa, a sua liquidez,  e aumenta os investimentos no Brasil, afirmou hoje o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, no evento ITS (Internacional Telecommunications Society). Mas ele voltou a se manifestar contrário à consolidação do mercado brasileiro.

E a discussão sobre a  fusão da Telecom Italia com a Oi ou o fatiamento da TIM, na visão do ministro, está  ultrapassada. Ele lembra que, quando a Portugal Telecom entrou no capital da Oi, alguns afirmavam que o projeto da empresa nacional estaria acabado. “E agora, vejo a Oi vendendo a Portugal Telecom”. “Não milito a favor de concentração, mas o mercado tem as suas características e pode acontecer”, completou.

PUBLICIDADE

Ele entende que a venda da PT por 7,4 bilhões de euros, ou mais de R$ 21 bilhões, é uma ótima notícia porque significa que a Oi aposta no Brasil. “Em uma coisa a empresa concorda conosco. O Brasil é um mercado que está crescendo muito, e vai continuar crescendo”, afirmou.

Smartphones

Segundo o ministro, país vai fechar o ano com 70 milhões de smartphones vendidos, quase o dobro do comercializado no ano passado. E ele entende que, no final do governo Dilma a rede de 4G será maior do que a rede 3G.

“Estou convencido que vai ser o 4G, e empresa que não tiver o 700 MHz vai penar”. Sei que tem muita gente apostando na faixa de 900 MHz para fazer 4G, mas a largura de banda. é bem menor “O 700 MHz é o bicho”, completou.

Tecnologia no satélite

O ministro rebateu  críticas de pesquisadores nacionais, de que o satélite nacional que está sendo construído pela Visiona, está absorvendo pouca tecnologia nacional. Segundo ele, este satelite saiu mais caro e vai demorar mais tempo para ser lançado, justamente porque há a preocupação do governo brasileiro com a transferência de tecnologia nacional. O primeiro satélite está previsto para ser lançado em 2016, a um custo de R$ 1 bilhão. Segundo ele, o segundo satélite será contratado no próximo ano.

TV Digital

Bernardo afirmou que espera que nas Olimpíadas, todos os canais de TV do Rio de Janeiro já estejam transmitindo em digital

 

A jornalista viaja a convite da TIM Brasil

Anterior Paulo Bernardo defende prorrogação da concessão com obrigação de banda larga
Próximos Cabestré assume Trópico, que volta a investir em P&D