Para Ericsson, decreto libera investimentos


Georgia Sbrana, vice-presidente de assuntos corporativos da Ericsson, analisa  que o decreto 10.480/20, que regulamentou a Lei das Antenas, não apenas prepara o setor para a evolução do 5G como também resolve problemas atuais do 4G. “Comemoramos muito e vimos como muito positivo o decreto e celebramos o trabalho do governo, porque ele traz boas inovações preparando o caminho para a introdução da nova tecnologia do 5G”, reforça Georgia Sbrana

A Ericsson fez um levantamento e apurou que, nos últimos cinco anos, apenas 15 estações radio-bases foram aprovadas em São Paulo, que tem uma base instalada de 6 mil antenas. “Há um funil de pendências nas grandes cidades que vai se acentuar com a chegada do 5G. Um dos pontos de destaque do decreto é o silêncio positivo. Levando-se em conta que muitas radiobases estão represadas, com o novo decreto com certeza deve liberar novos investimentos”, analisa Georgia.

PUBLICIDADE

Outra inovação do decreto, para ela, e que também foi ressaltada pela Abranet,  é a caracterização de infraestrutura de rede de telecomunicações de pequeno porte. Levando-se em conta que o 5G chega com infraestrutura de ERBs menores com antena integrada, e pensando-se em grandes cidades, esse conceito vai facilitar muito a instalação das redes.

“A questão do direito de passagem para instalação de infraestrutura em estradas e gasodutos, também é importante porque as obras civis são um dos maiores custos na implantação de fibra óptica. No momento em que o decreto determina que essas obras vão ter que prever a instalação de fibra, vai facilitar as conexões de alta velocidade entre as localidades”, ressalta Georgia.

Anterior Destravamento da pauta setorial é comemorado pelas entidades
Próximos Vivo amplia serviços gerenciados com Amdocs