Osram apresenta solução para desvios de comprimento de onda em carros autônomos


A Osram, empresa do setor de iluminação, apresentou um novo design de chip que reduz os desvios de comprimento de onda para o LiDAR (Detecção de Luz e Alcance), tecnologia chave para o desenvolvimento de carros autônomos. Normalmente, os desvios nesse sistema são de 40 nanômetros, conforme a temperatura do componente aumenta. A Osram conseguiu os reduzir para 10 nanômetros. No futuro, a solução será utilizada em todos os lasers infravermelhos da OSRAM.

O LiDAR funciona a partir de um laser infravermelho que envia pulsos de luz para o ambiente do veículo. Quando a luminosidade atinge um objeto, ela é refletida e registrada por um sensor, que calcula a distância da luz ao objeto e vice-versa.

PUBLICIDADE

Esse sistema depende das tecnologias EEL (lasers emissores de borda) e VCSEL (laser emissor de superfície de cavidade vertical). Elas devem trabalhar de forma complementar para criar um mapa tridimensional preciso do ambiente. Com desvios de comprimento de onda de 40 nanômetros, a visão do LiDAR se torna um pouco turva.

O design do chip recém-desenvolvido permite que os lasers de emissão de borda possam combinar e até mesmo exceder a estabilidade do comprimento de onda dos VCSELs em temperaturas operacionais de até 125°C, típico para aplicações automotivas. Isso possibilita o uso de um filtro de comprimento de onda muito menor no detector, o que melhora significativamente a relação sinal-ruído. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Brasil não tem direito ao esquecimento
Próximos Seal Telecom anuncia dois novos executivos, Richard Carnelossi e Wagner Bernardes