Operadoras se preparam para enterrar fiação no centro de São Paulo


postes fio fibra cabo telecomunicacoes provedores

As operadoras de telecomunicações se preparam para enterrar, até julho de 2018, 52 km de fiação aérea. O acordo foi fechado pela prefeitura e a Eletropaulo em março. Ao todo, 117 ruas terão os postes retirados até julho de 2018.

João Moura, presidente da Telcomp, explica que a decisão dá continuidade a procedimentos de enterramento que já vinham acontecendo na cidade. Segundo ele, as empresas aguardavam desde o começo do ano decisão da prefeitura sobre quais ruas seriam beneficiadas.

PUBLICIDADE

Apenas as operadoras de telecomunicações terão que fazer investimentos para o enterramento. A prefeitura não terá de pagar por nenhuma obra, enquanto a AES Eletropaulo, dona dos postes, já concluiu o enterramento dos fios de transmissão elétrica nas áreas escolhidas. A distribuidora terá de arcar apenas com a remoção de 2.019 postes, o que deve custar R$ 6 milhões.

Já as operadoras ainda calculam quanto terão de investir. Ainda estão elaborando os projetos técnicos para baixar os fios ao subsolo.

Por que a demora?

A prefeitura afirma que, embora o compromisso seja de enterrar 52 Km de fios até julho de 2018, a meta é alcançar um ritmo de enterramento de 100 Km por ano nesta gestão, de João Dória (PSDB) – conforme o jornal O Estado de S. Paulo. Para a Telcomp, é difícil estabelecer um ritmo ideal.

Ao Tele.Síntese, Moura explica que fatores muito distintos, das condições do solo ao tráfego da rua, impactam o tempo de obras do tipo. Ele lembra que as operadoras trabalham com o prazo sugerido, mas não há um contrato formalizando o compromisso.

A gestão passada, de Fernando Haddad (PT), determinou em decreto que as empresas deveriam enterrar 250 Km ao ano. Mas o texto foi contestado na Justiça e hoje se encontra suspenso por liminar. “O que se questiona é essa velocidade. Mas nem a Eletropaulo, nem as operadoras, pararam obras de enterramento”, diz Moura.

O executivo lembra que regiões, como a Rua José Paulino, já passavam por obras antes do acordo. Reitera, porém, que nunca uma cidade como São Paulo será capaz de deixar o poste totalmente de lado, em função de condições diversas, como a geografia e condições de terreno e urbanização.

Áreas

As 117 ruas estão localizadas em sete distritos: Consolação, Bela Vista, República, Santa Cecília, Jardim Paulista, Bom Retiro e Brás. Ao todo, serão enterrados 58 mil km de cabos (energia e telecomunicações). Com a medida, prevê-se multiplicar por seis a quantidade de cabos subterrâneos na cidade (atualmente, são 11,4 mil).

As ruas e avenidas escolhidas foram listadas no Diário Oficial da cidade em 11 de março, na portaria nº 16 da Secretaria de Obras do Município. Mas somente agora a prefeitura iniciou a comunicação da empreitada, batizada de Cidade Linda Redes Aéreas.

Anterior Vivo lança 4G em 124 cidades em julho
Próximos Abertura de empresa tem o pior resultado do trimestre