Operadoras investem no quadruple play e casam fixo com mobilidade


Tele.Síntese Análise 401 Nas últimas semanas, surgiram mais sinais de que chegou a hora do quadruple play – pacote de serviços que inclui banda larga, TV, telefone fixo e móvel – no Brasil. A América Móvil lançou sua versão combinando os serviços da NET com os da Claro. A Telefônica/Vivo declarou, durante conferência com analistas …

Tele.Síntese Análise 401

Nas últimas semanas, surgiram mais sinais de que chegou a hora do quadruple play – pacote de serviços que inclui banda larga, TV, telefone fixo e móvel – no Brasil. A América Móvil lançou sua versão combinando os serviços da NET com os da Claro. A Telefônica/Vivo declarou, durante conferência com analistas sobre os resultados do segundo trimestre, que usará a oferta para defender sua base fixa. Mas a convergência fixo-móvel vai além dos serviços combinados. As operadoras estão oferecendo pacotes com convergência de minutos (ligações gratuitas entre fixo e móvel) e de dados. Além disso, ampliam a oferta de serviços de telefonia fixa e banda larga utilizando a rede móvel, o que promete aumentar a concorrência em diversos mercados e tencionar as challengers, como a TIM Fiber e a GVT, que não têm todos os serviços para empacotar.

 

A Oi foi precursora do modelo quadruple play e em convergência de minutos fixo-móvel, em 2005, com o Oi Conta Total, que não previa consumo de dados móveis. Em abril de 2012, a operadora adicionou a oferta de dados para smartphone, com a franquia de internet móvel usufruída apenas pelo titular.

PUBLICIDADE

 

O Combo Multi, lançado pela América Móvil, se assemelha à versão da Oi, mas avança no sentido do compartilhamento de minutos e também de dados entre titular e dependentes, pelo valor adicional de R$ 49,50/mês por dependente. O grupo mexicano segue os passos da Telefônica, que em abril lançou o Multi Vivo, pelo qual usuários contratam um plano de dados e voz para compartilhamento em até cinco dispositivos adicionais (smartphones, tablets e notebooks). O grupo espanhol, porém, ainda não desenhou a oferta quadruple play, mas já deu sinais de que também deve seguir esse caminho.

 

Se seu combo completo ainda não está pronto, a Telefônica promete evoluir nos combos menores. Está prevista, por exemplo, uma expansão da oferta de telefonia fixa utilizando a rede móvel, com os aparelhos chamados de FWT (Fixed Wireless Terminal). De acordo com Roderlei Generale, CEO da Telsec, fornecedora do equipamento, o produto deve ser usado para ampliar a concorrência na telefonia fixa nacionalmente e em alguns pontos no estado de São Paulo, onde a Telefônica é concessionária.

 

A Telsec desenvolveu por um ano um telefone fixo FWT com funcionalidades de celular em diálogo com a operadora espanhola. O produto, já homologado pela Anatel, está em fase final de aprovação. De acordo com Paulo Cesar Teixeira, diretor-geral da Telefônica/Vivo, a operadora tem autorização da Anatel para oferecer o serviço “em alguns pontos da capital e em algumas regiões metropolitanas do país”. A oferta do FWT é condicionada à autorização da agência reguladora no que tange ao uso das frequências da telefonia móvel para o STFC. “A Vivo lançar uma solução fixo wireless fora de São Paulo faz todo sentido. Ela é líder na móvel, e fazer o empacotamento lhe ajudaria a fidelizar clientes e aumentar o ticket médio por usuário”, avalia Ari Lopes, principal analista da Telecom & Media no Brasil.

Anterior TV digital: começa por São Paulo e Campinas a consulta sobre remanejamento de canais
Próximos Falta oferta ampla de vídeo