Operadoras dispararam 100 mil mensagens de alerta contra o Convid-19


As operadoras de telefonia móvel do país dispararam, desde o dia 12 de março até ontem, 17, cerca de 100 mil mensagens SMS orientativas contra o Covid-19 aos usuários dos aeroportos brasileiros e podem ampliar a campanha com a alteração da localização dos destinatários para atingir outros locais de risco de contágio. O disparo é uma das ações determinadas às empresas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), sob a coordenação da Casa Civil da Presidência da República.

Trata-se de uma solução emergencial acertada pela Agência Nacional de Telecomunicações com as prestadoras Claro, Oi, Tim, Vivo, Algar, Nextel e Sercomtel, e com o Sinditelebrasil, o sindicato das operadoras, buscando atingir especialmente passageiros vindos de outros países, especialmente dos mais afetados na Europa, Estados Unidos e Ásia. Segundo a Anatel, a plataforma usada para o envio das mensagens apresenta flexibilidade para mudar os locais para atingir o maior número possível de usuários.

PUBLICIDADE

A Anatel também determinou às operadoras acesso ao aplicativo “Coronavirus – SUS” do Ministério da Saúde, sem desconto de franquia de dados. A plataforma digital consolidou informações oficiais e orientações sobre os sintomas,  indicando quando é necessário ir a hospitais. O aplicativo está disponível para download grátis em celulares Android e Iphone (iOS). Por meio da geolocalização, indica qual a unidade de saúde mais próxima do usuário.

Essas medidas foram recomendadas pela Anatel em ofício enviado, no último domingo, 15, às associações de empresas de telecomunicações.

Suspensão do atendimento presencial

Uma fonte das operadoras informou que as empresas devem propor à Anatel a suspensão do atendimento presencial em lojas físicas, até porque muitas delas estão localizadas em shoppings, alvo de medidas para vedar ou reduzir a circulação de pessoas, a exemplo de redução de horários de funcionamento e proibição de aglomerações. O mesmo foi pedido para a prestação de serviços solicitados diretamente pelo consumidor.

Também com a justificativa de combater a disseminação do novo coronavírus, as empresas querem priorizar ou até mesmo realizar o atendimento apenas por telefone, celular e mecanismo digitais, a exemplo de chats, com o propósito de proteger as equipes técnicas encarregadas de fazer atendimento externo.

No ofício enviado no domingo, a Anatel sugere às companhias que divulguem medidas de higiene e restrinjam “aglomerações no atendimento pessoal ao público externo e nos ambientes de call center”. Por causa desse recado, as operadores identificaram  um gancho para sugerir maior atenção ao atendimento virtual, a exemplo do que já vem sendo adotado na Europa, região de origem das controladoras de empresas como a espanhola Telefónica e a italiana TIM.

Operadoras vão disparar SMS para o governo de SP

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou nesta quarta-feira, 18, que o governo do estado, por meio da Secretaria de Comunicação, fez uma parceria com as operadoras Vivo, Tim, Claro e Oi. Pelo acordo, as empresas vão mandar a seus assinantes, a partir de hoje, SMS com recomendações de prevenção à doença e de que a população deve buscar as informações corretas nos canais oficiais.

“São milhões de pessoas que serão atingidas imediatamente com informações precisas e atualizadas sobre condutas, procedimentos, limitações e recomendações de saúde pública a partir de amanhã. Esse serviço será coordenado e orientado pela Secretaria de Saúde e pelo Centro de Contingência do Covid-19”, disse Doria.

Anterior Conto com você em nossa nova seção contra o Covid
Próximos No exterior, teles fecham lojas temporariamente