Operadoras de celular firmam compromisso com governo para explicar internet móvel


Algar, Claro, Oi, TIM, Vivo e Sercomtel assinaram hoje,23, com os ministérios das Comunicações e da Justiça um compromisso público para melhor explicar o consumo de dados no celular. As empresas, em 30 dias, irão criar um código de conduta para a comunicação da oferta de internet além de oferecer aos seus clientes apps para permitir o acompanhamento individualizado do consumo de dados. Irão ainda, no prazo de 60 dias, fazer uma campanha educativa e de informação. Tudo isto porque as empresas acabaram com o acesso à internet após a franquia, o que provocou ações na justiça por parte dos Procons. Para as operadoras, contudo, não há ilegalidade nesta medida.

As operadoras de celular brasileiras assumiram hoje, 23, compromisso público com o Ministério das Comunicações e da Justiça para melhor esclarecer os clientes sobre o consumo de dados no celular. Em trinta dias as empresas irão fazer um código de conduta para a comunicação da oferta de internet móvel. Também no mesmo prazo terão que oferecer aos usuários apps que tragam a informação individualizada do consumo de dados. E, em 60 dias, deverão começar campanha de educação e informação sobre a internet móvel.

“Temos certeza absoluta de que não existe ilegalidade ou violação às regras da Anatel. Houve mudança no consumo de dados que provocou mudanças na mecânica de operação das empresas”, afirmou o presidente da TIM, Rodrigo Abreu, referindo-se ao corte da internet após o consumo das franquia de dados.

O Ministério das Comunicações publicou nota à imprensa após a reunião, informando que, após o início da campanha educativa, as operadoras não poderão mudar os planos de serviços por pelo menos 30 dias e que o governo ficará atento ao cumprimento do compromisso.

PUBLICIDADE

Conforme o presidente da Claro, Carlos Zenteno, este compromisso é uma ação pró-ativa das empresas para tirar as dúvidas dos usuários quanto ao consumo de dados.

 

 

Anterior Google fatura US$ 17,2 bilhões no primeiro tri
Próximos Microsoft reduz lucros em 12% no trimestre