Operadora de satélites de baixa órbita OneWeb pede recuperação judicial


A operadora de satélites de baixa órbita (LEO) OneWeb entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça dos Estados Unidos na última sexta-feira, 27. A empresa justificou a decisão em comunicado publicado em seu site. Nele, explica que estava pronta para fechar um aporte que sustentaria a empresa por mais alguns anos.

Mas, com a eclosão da crise sanitária mundial causada pelo novo coronavírus, as fontes de recurso secaram. Investidores desistiram de manter o caixa, enquanto as operações ainda são deficitárias.

PUBLICIDADE

Sem dinheiro novo, a companhia afirma que se viu obrigada a demitir, pedir proteção legal para direcionar o dinheiro que ainda tem em reservas para a manutenção dos serviços e pagamento dos demissionários. A proteção judicial também dará fôlego para a empresa buscar compradores.

650 satélites

A OneWeb foi fundada pelo empresário norte-americano Greg Wyler, juntamente com a O3b, que aposta nos satélites de órbita média. Em 2016 a europeia SES comprou apenas as operação da O3b, enquanto Wyler seguiu construindo a constelação LEO da OneWeb. Entre os ativos da empresa que poderão ser vendidos nesta recuperação judicial estão a participação em uma fábrica de satélites de pequeno porte, joint-venture com a Airbus.

A operadora tem licença para uso de espectro em diversos países e 74 satélites em órbita. Previa colocar uma frota de 650 unidades em volta da Terra. Já construídas, ou em fase final de construção, há 44 estações terrenas. Sua tecnologia entrega, hoje, conexões de até 400 Mbps com latência de 32 ms. Além de conectar rincões, as empresa esperava faturar no mercado marítimo, automotivo e de backhaul para operadoras de telecomunicações tradicionais.

Fonte secou

Adrian Steckel, CEO, afirmou que “a atual situação é resultado do impacto econômico da crise da Covid-19″. Segundo ele, “fomos forçados a demitir parte de nossos trabalhadores e entrar no processo do Capítulo 11 [da Lei de Falências dos EUA, equivalente a recuperação judicial], enquanto a equipe remanescente segue focada em gerenciar a constelação nascente, com a Corte e com os investidores”.

Conforme o jornal britânico Financial Times, a operadora negociava um aporte de US$ 2 bilhões do fundo Softbank. O fundo tem sido alvo de críticas nos últimos meses, após uma série de perdas com investimentos em startups que não trouxeram retorno. A OneWeb já tinha recebido, desde a fundação, US$ 3,4 bilhões em aportes de diferentes investidores, entre os quais Airbus, Qualcomm e Virgin Group.

O mercado de satélites de baixa órbita é recente. As empresas que o exploram ainda estão colocando satélites no espaço. Entre o grupos que apostam na novidade estão SpaceX, do bilionário americano Elon Musk, e Amazon Kuiper, de Jeff Bezos, e a canadense Telesat.

Anterior "As falhas da segurança acontecem na camada da aplicação", aponta diretor da Huawei
Próximos Mercado de segurança de TI deve crescer 12% na América Latina, prevê IDC Brasil