Oi usa aplicativo para acompanhar a saúde dos funcionários


A Oi criou um sistema para acompanhar a saúde de seus 14 mil funcionários em todo o país. Em um mês de quarentena, o sistema, que pode ser acionado por aplicativo ou site, recebeu cerca de 62 mil mensagens de reporte de condições de saúde dos profissionais da empresa. A partir das mensagens, mais de 3 mil teleatendimentos com médicos e psicólogos foram realizados.

PUBLICIDADE

Desenvolvido em menos de 48h, o aplicativo é um canal direto para colher informações sobre a saúde dos colaboradores com questionários simples e rápidos. Os dados colhidos a partir deste e dos outros canais diretos de atendimento ao funcionário seguem os protocolos das autoridades sanitárias e foram criados no início do isolamento social, gerando informações acompanhadas diariamente em dashboard com visão aplicada de BI pelo time de combate ao coronavírus da Oi.

A Oi também tem investido na segurança de suas equipes: comprou 400 mil máscaras e 25 mil litros de álcool em gel para uso em seus vários prédios e por equipes de campo, ou pontualmente nos centros de gerência da rede. Essa ações demandaram investimentos de R$ 6,3 milhões neste período de isolamento social.

Acordo com sindicatos

A Oi também negociou com os sindicatos algumas alternativas para o momento, dentre elas férias coletivas e a suspensão do contrato de trabalho – neste caso, em sua maioria, para o time de lojas, que estão fechadas na quarentena.

Conforme Medida Provisória do Governo Federal, a empresa fica responsável pelo pagamento de 30% do salário e o governo pagará os outros 70% com base nas regras do Seguro Desemprego. Cerca de 35% das equipes das lojas estão com suspensão de contratos e 65%, exercendo, principalmente, atividades de vendas em home office.

Adicionalmente à MP, a empresa negociou com os sindicatos uma complementação adicional garantindo a manutenção do salário nominal bruto mensal que os colaboradores recebiam antes da suspensão do contrato. A Oi também será responsável pela manutenção de todos os benefícios do colaborador.

Outras medidas adotadas pela Oi

Home Office: Mais de 11 mil funcionários da empresa estão trabalhando remotamente, cerca de 81% do total. A medida teve início em 16 de março.

Chatbot: Teo, atendente virtual usado pelos colaboradores em computadores ou smartphones para esclarecer dúvidas sobre benefícios, processos de frequência e processamento remoto de documentos, como atestados de saúde. Neste primeiro mês de quarentena, mais de 6 mil interações foram atendidas pelo chatbot.

Conteúdo e conexão: a Oi ampliou a oferta de conteúdo em sua intranet e no app Oi Colaborador. Com notícias, entrevistas com executivos, eventos em webstreaming, manuais e orientações gerais sobre o novo coronavírus, a companhia teve um crescimento de 30% no acesso à intranet e de 1.400% do app.

Desenvolvimento profissional: a empresa ampliou a frequência e adequou a temática de projeto interno para estimular o autodesenvolvimento, usando lives. A Oi também conseguiu ampliar o portfólio de cursos online em sua plataforma Oi Educa. E disponibilizou para a liderança, em parceria com uma startup que foi acelerada pelo Oito (seu hub de inovação), seções remotas de mentoring.

Assistência psicológica: a companhia ampliou o canal de atendimento remoto junto a médicos e psicólogos da rede credenciada do plano de saúde. A consulta pode ser realizada via telefone ou chamada de vídeo. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Claro amplia projeto de energia renovável
Próximos Cade aprova o compartilhamento de redes entre a Tim e a Vivo