Oi se encontrará com bondholders na próxima semana para debater recuperaçao


marco-schoroeder-oi-ceo

A Oi recebeu a proposta dos bondholders apresentada ontem, 23, e imediatamente entrou em contato para marcar uma reunião. Segundo o presidente da companhia, Marco Schroeder, a proposta tem elementos que podem ser interessantes à empresa, e que precisam ser debatidos a fundo.

Por isso mesmo, já negocia para a próxima semana, diz, uma reunião com o grupo. Segundo Schroeder, o objetivo é chegar a um divisor comum entre equity e conversão da dívida.

PUBLICIDADE

A Oi deve levar a esses credores a proposta de receber R$ 5 bilhões em injeção de capital novo, e outros R$ 3 bilhões viriam da conversão de ao menos 25% da dívida da companhia. A mesma proposta foi entregue hoje, 24, à Anatel, em Brasília.

Data da assembleia de credores

Ontem o administrador judicial da Oi protocolou na Justiça do Rio de Janeiro, onde corre o processo de recuperação da companhia, a data da assembleia de credores: 9 de outubro.

A empresa tem de apresentar, ao menos 10 dias antes da reunião, a proposta de recuperação judicial que será votada. Mas não há nada definido.

O próprio Schroeder reforça que ainda é preciso chegar ao consenso com bondholders e Anatel. “Mas é algo positivo, pois agora temos uma data em definitivo e  as posições precisam convergir”, reflete o executivo.

PLC 79

Schroeder também comentou, durante evento de lançamento do hub de empreendedorismo da companhia nesta quinta, no Rio de Janeiro, o encontro de representantes das operadoras com o presidente do Senado, Eunício Oliveira.

Segundo ele, a reunião deixa claro que há consenso sobre a necessidade de reformular o marco legal do setor de telecom. Mas diz que, pela Oi, a ida a plenário seria até melhor, para redimir quaisquer dúvidas em torno do projeto.

Ele também afirma que a MP 780, do Refis, sem previsão de conversão da dívida por TACs, não interessa à Oi.

Anterior Anatel recebe novo plano de investimento da Oi e ouve promessa de capitalização do Societé
Próximos Anatel decide abrir processo para cassar as licenças de celular, banda larga e telefonia fixa da Sercomtel