Oi mira o que vem depois da recuperação judicial


Oi lançou novos planos pré-pagos, controle e pós-pagos. Neste último, adicionou compartilhamento de franquia entre dependentes e acrescentou acesso a conteúdos de Fox, Discovery e, a partir de maio, HBO. Também simplificou os combos fixos.

A Oi fez uma série de anúncios na manhã desta terça-feira (17), em Campinas (SP). A operadora apresentou novos planos pré-pagos, controle e pós-pagos na telefonia móvel. Antecipou também novidades nos combos com banda larga e TV, e extensão de parcerias.

Para um auditório lotado de vendedores, reforçou a ideia de que o pior passou e, à frente, a companhia se prepara para colher os resultados da reestruturação que atravessou em 2017 e da recuperação judicial, que segundo os executivos da empresa, segue a todo vapor.

“A companhia está comprometida em promover a retomada da receita ao mesmo tempo em que melhora a experiência do cliente. Em 2018, a Oi continuará investindo em melhoria da qualidade com a expansão da rede de 4G, da rede de fibra óptica de alta velocidade e da digitalização”, disse Bernardo Winik, diretor Comercial da Oi.

PUBLICIDADE

Para trás fica, conforme Winik, um ano de mudanças. Em 2017, a tele reduziu despesas em R$ 1,5 bilhão, tanto através do corte de custos, como por meio da digitalização de processos e em diversas iniciativas (nas áreas de e-care, e-billing e e-commerce). Ao mesmo tempo, aprovou o plano de recuperação judicial que, conforme divulgado na última semana, reduzirá o endividamento líquido de R$ 44,6 bilhões para R$ 7 bilhões.

Agora, chegou a hora de recuperar o mercado perdido na telefonia móvel e na fixa. A previsão é aumentar os investimentos de R$ 5,5 bilhões para R$ 7 bilhões já neste ano, mesmo com o aumento de capital previsto apenas para o último trimestre. O dinheiro irá para o refarm dos 1,8 GHz, para FTTH e reforço de backbone afim de garantir a qualidade das novas ofertas, que procuram atender a demandas dos clientes por conteúdo e por múltiplos serviços em um só.

Novos pós

A Oi lançou hoje planos pré, controle e pós-pagos com oferta maior de dados do que os que possuía antes e que trazem conteúdos de parceiros. Na telefonia móvel pós-paga, passou a permitir o compartilhamento de franquia com e entre dependentes (algo que concorrentes já tinham) e a migração instantânea de franquia de voz para dados e vice-versa (algo que já tinha no pré e no controle).

O plano pós Oi Mais Digital básico agora custa R$ 84,90, com 7 GB de dados, acesso ao aplicativo de streaming Coleção Oi e até quatro dependentes. O plano “master” custa R$ 299,90 e traz 50 GB, mesmo número de dependentes, acesso ao app de streaming da empresa e também ao FOX+, Watch ESPN e Discovery Kids. A partir de maio, haverá acesso também ao app HBO Go no pacote mais caro.

A operadora aposta que o campeão de vendas será o plano intermediário, de R$ 99,90, com franquia de 15 GB, acesso ao Coleção Oi e Fox+. Todos os planos pós têm chamadas ilimitadas de voz para qualquer operadora. O uso dos apps consome a franquia de dados.

Pré e Controle

oi-pre-controle-2018

No pré-pago, a companhia apresentou o novo Oi Livre Ilimitado. Além das chamadas sem limite para qualquer operadora, traz 2 GB de franquia de dados por R$ 20, com validade de 14 dias. É possível transformar a voz ilimitada em até 1 GB de dados.

Os planos controle, no entanto, parecem mais atraentes entre quem consegue se comprometer com o faturamento mensal. O Oi Mais Controle Básico custa R$ 40 e tem 3 GB de franquia (mais 1 GB para quem quiser converter toda a voz ilimitada em dados). Há mais dois planos controle, com até 6GB e até 8 GB, por R$ 54,90 e R$ 74,90, respectivamente.

As ofertas começam a ser vendidas amanhã (18) em todo o país, na esperança de atrair compradores em busca de promoções para o Dia das Mães.

Combos fixos

Para crescer no fixo, o foco será todo sobre as ofertas de combos do Oi Total. A empresa simplificou esse bundle, retirando contratações possíveis abaixo de 15 Mbps na banda larga. E quem quiser velocidades maiores poderá, simplesmente, pagar um prêmio para liberar mais capacidade (onde for possível).

Com isso, novos clientes terão de escolher entre três pacotes: básico, intermediário e top. Todos com chamadas ilimitadas para fixo e móvel, de todo o Brasil, e a banda larga de 15 Mbps. O cliente escolhe se além do fixo e da banda larga quer TV e celular, só celular ou só TV. Os preços vão de R$ 194,90 (básico só com fixo, banda larga e celular com 14 GB de franquia) a R$ 379,90 (top, com TV com 195 canais, e celular com 50 GB de franquia).

Anterior Para senador, lei de proteção de dados requer autoridade nacional
Próximos Com cobertura em todas as capitais, WND começa a olhar o mercado público