Oi lança filmes e gravador digital também para os pacotes mais baratos


A Oi lançou hoje, 5, na ABTA, o seu novo serviço de TV paga, que une a TV em qualquer tela (a TV Everywhere) com a oferta de conteúdos de filmes e séries pay per view e vídeo on demand (VOD) e a gravação digital de qualquer programa para todos os pacotes de preços, desde o mais barato ao mais caro.  “Estamos democratizando a convergência e TV Oi é a âncora desta estratégia”, afirmou o diretor de Varejo da empresa, Bernardo Winik. Mas para ter acesso a essas ofertas, o cliente deve possuir também a conexão à internet, já que o serviço de TV via satélite DTH não permite acesso ao canal de retorno.

Segundo Ariel Dascal, diretor da Oi TV, 70% dos clientes da Oi TV têm também a banda larga da empresa, o que significa que a grande maioria já pode, a partir de hoje, usar o novo serviço. Para que os atuais assinantes e os futuros clientes possam usar esta nova funcionalidade, terão que pagar R$ 10,00 pela liberação da caixa para o pay per view e R$ 20,00 para o VOD, que funciona na caixinha com DVR. A diferença entre o pay per view e o video on demand (VOD) é que, no primeiro caso, o telespectador, depois que compra o produto, tem que esperar pelo reinício do filme, se ele já tiver começado. No VOD, o vídeo é exclusivo para o assinantes, e ele assiste ao programa a partir de seu início  em qualquer horário.

Atualmente, o cliente da Oi, para comprar um vídeo sob demanda, precisa ligar para o call center da operadora, e com este lançamento de hoje, ele poderá comprar via controle remoto. Mas esta praticidade só estará disponível a partir de novembro deste ano. Até lá, mesmo com essas novas funcionalidades nos conversores, o usuário terá que ligar para o call center da empresa.

PUBLICIDADE

TV Everywhere

Já o Oi Play para celular, tablet e PC  dará acesso, neste primeiro momento, a 11 aplicativos, com 30 canais lineares para aqueles que se cadastrarem no portal Minha Oi. Os aplicativos são dos próprios programadores, como Telecine Play , Globosat Play, ESPN Watch. A partir de outubro, explica Winik, será lançado um portal na internet que irá reunir todos os produtos audiovisuais à venda que serão classificados  por gênero, e o cliente poderá comprar os programas diretamente pelo controle remoto.

Parceria com OTTs e canais abertos

Para Winik, a melhor qualidade dos serviços digitais das TVs abertas não é uma ameaça para a TV paga, até porque, explica, os canais de TV aberta são importantes para complementar a oferta das operadoras. ” Somos a única operadora que oferece os canais da TV Globo em três mil municípios brasileiros, dos quais em dois mil deles a transmissão é em HD”, afirma.

No caso dos conteúdos OTTS,  Winik não vê problemas em divulgar essa programação  em seus canais, mas não concorda com o tratamento legal assimétrico entre os dois tipos de empresas, de telecom e de conteúdo over the top. ” Eles ficam com as receitas, e nós, com os investimentos.  Isso precisa ser resolvido rapidamente”, disse.

O executivo afirmou ainda que o lançamento da TV pré-paga, que ocorrerá em breve, não “matará” o Oi Livre, e será uma oferta complementar à estratégia de convergência da operadora.

 

 

Anterior TIM quer reduzir custos em R$ 1 bi, até 2017
Próximos "Não é papel da Ancine intervir em pacotes de programação", diz Rangel