Oi informa que fim da RJ ficará para o segundo trimestre


Oi lança manual para a AGE de abril
O manual traz também a reserva de recursos para remuneração de diretores e conselheiros: R$ 84 milhões. Crédito: Freepick

A Oi informa que o fim da RJ será adiado, conforme divulgou hoje, 30, no manual de participação e proposta da Administração para a Assembléia Geral que será realizada em 29 de abril. E no documento a Oi informa que a RJ, ou a Recuperação Judicial da companhia ficará para o segundo trimestre deste ano, e não mais, como o previsto de se encerrar amanhã, 31 de março. O adiamento do maior processo de recuperação judicial brasileiro foi antecipado pelo Tele.Síntese na semana passada, por intermédio do comunicado da Justiça Federal. Agora, ele é confirmado pela empresa

Conforme o documento divulgado, a Oi planeja que nos próximos três meses aconteçam a  aprovação da venda do controle da InfraCo (V.tal) pela Anatel; Closing das UPIs Ativos Móveis e V.tal; Fim da RJ; Fase de transição da UPI Ativos Móveis; Transformação
acelerada da base de custos para adequação à Nova Oi; Desenvolvimento da V.tal; e equacionamento da concessão. Ou seja, a Oi informa que o fim da RJ não ocorrerá no prazo inicialmente previsto.

PUBLICIDADE

A Assembleia está sendo convocada para deliberar sobre: a tomada de contas dos administradores relativas ao exercício social
encerrado em 31 de dezembro de 2021;  a fixação da verba global anual de remuneração dos Administradores e dos membros do Conselho Fiscal da Companhia;  a eleição dos membros do Conselho Fiscal e respectivos suplentes. E também para  aprovar o Plano de Incentivo de Longo Prazo baseado em ações de emissão da Companhia para Executivos; e  homologar a alteração do caput do art. 5º do Estatuto Social da Companhia, para refletir a quantidade de ações ordinárias emitidas no âmbito do aumento de
capital, dentro do limite do capital autorizado, aprovado pelo Conselho de Administração em 22 de fevereiro de 2022.

Remuneração dos diretores

Entre as questões a serem decididas na assembleia estão a remuneração dos administradores e do conselho de administração. A Oi volta a propor uma remuneração de longo prazo, que não havia sido praticada nos últimos dois anos; e também um pagamento extra pelo “sucesso da operação dos desinvestimentos realizados”, além da manutenção de remuneração sob a forma de valor fixo e variável.

A Oi está propondo a reserva de R$ 84 milhões para o pagamento de seus principais executivos e conselho de administração no ano. Dos quais: R$ 63,6 milhões serão direcionados para o pagamento dos salários dos diretores estatutários ( que são o CEO Rodrigo Abreu; a diretora de Finanças, Cristiane Barreto Sales; e o diretor Rogério Takayanagi), que contarão com remuneração fixa e variável, conforme as metas estabelecidas; e R$ 26, 6 milhões a serem distribuídos a executivos “encarregados da condução estratégica e operacional dos processos de desinvestimento”.

Ao Conselho de Administração, que são 11 pessoas, está sendo reservado o montante de R$ 19,3 milhões e mais R$ 1 milhão para o Conselho Fiscal.

A íntegra do manual:

Manual-de-Participacao-AGOE-29-04-2022

 

 

PUBLICIDADE
Anterior Antigas outorgas de TVA podem ganhar espectro de graça
Próximos Anatel quer guilhotina regulatória para fomentar a inovação