Oi corre risco de deixar listagem da Bolsa de Nova York


A Oi comunicou ontem ao mercado que corre o risco de deixar a listagem da bolsa de valores de Nova York (New York Stock Exchange, NYSE) caso não consiga valorizar os papeis comercializados lá. Segundo normas da NYSE, apenas ações ou equivalentes, no caso, ADSs, negociados por US$ 1 ou mais, em média, nos últimos 30 dias, podem ser negociados.

A NYSE avisou a Oi em 14 de setembro que a companhia não estava em conformidade com o requisito. A operadora tem seis meses, ou seja, até março de 2016, para recuperar o valor dos papeis, caso queira permanecer na bolsa norte-americana. Até lá, as ADSs continuam a ser vendidas normalmente.

A concessionária afirma que pretende agir para manter sua presença no mercado financeiro externo. “A Oi ainda não determinou as proporções aplicáveis de ações por ADS, mas pretende escolhê-las com a expectativa de permanecer em cumprimento com o requisito da NYSE de preço mínimo por ação no futuro próximo, após tais alterações. As alterações nos termos dos ADSs Ordinários e ADSs Preferenciais devem ser aprovadas pelo Conselho de Administração da Oi e pela Comissão de Valores Mobiliários. A Oi pretende implementar esta alteração de proporção antes de 14 de março de 2016”, afirma.

PUBLICIDADE
Anterior Oi convoca assembleia para votar estatuto pós-pulverização
Próximos Claro aumenta capital em R$ 793 milhões