Oi completa portfólio de segurança com proteção a computadores


Luiz-Carlos-Faray-03Como parte da estratégia de fornecer soluções completas aos clientes, a Oi agrega ao seu portfólio de segurança  o Endpoint Security, para desktops e laptops empresariais. O objetivo da operadora, de acordo com Luiz Carlos Faray, diretor de soluções de TI/SI/B2B, é fazer com os clientes, que estão no SOC (Security Operation Center) Oi, passem a utilizar todas as alternativas oferecidas pela empresa, que inclui a segurança da rede, das aplicações em nuvem, do DNS e dos dispositivos móveis, além dos computadores.

Hoje a Oi conta com 150 clientes no SOC, mas o seu alvo vai muito além: quer conquistar para seu portfólio de segurança muitos das 5 mil empresas médias e grandes que utilizam seus serviços de conectividade. “Chegamos à conclusão de que o cliente precisam de soluções completas, usando um único provedor de serviço. Por isso, decidimos entrar na casa do cliente para proteger também os computadores”, conta ele. E lembra que para manter a segurança do cliente não existe “uma bala de prata”. “Todas as etapas precisam ser protegidas”, afirma.

O modelo de gerenciamento de segurança da Oi, iniciado há dois anos, evoluiu para atender à nova realidade do mercado de segurança de informação, onde o aumento das velocidades médias de tráfego, do número de dispositivos conectados e a migração massiva de serviços para a nuvem, tem sido um desafio de gestão para quase todos os CIOs. Nesse cenário, segundo Faray, portfólio de segurança da operadora tem a capacidade de monitorar, detectar e agir frente a ataques que poderiam causar interrupções operacionais, levando à perda de clientes, oportunidades de vendas, depreciação da marca, ou mesmo resultar em perda ou bloqueio de dados.

PUBLICIDADE

No modelo de serviços da Oi, o SOC fica responsável pela manutenção, monitoração e atuação frente as ameaças, com técnicos certificados dentro da sua própria estrutura, acompanhando o atual aumento do número e complexidade dos ataques, bem como das exigências regulatórias que possam surgir. A operadora conta com a parceria de fornecedores internacionais de soluções na área de segurança, como Cisco, Arbor e Palo Alto.

Anterior Liminar isenta Telcomp de pagar TPU em Osasco e nas estradas de SP
Próximos Anatel deve publicar nesta quinta o PGMU IV, que reduz obrigações na telefona fixa