O espaço cibernético é muito maior do que telecom, lembra Huawei


O diretor global de cybersegurança da Huawei, Marcelo Motta, afirmou hoje, 28, que a neutralidade tecnológica é importante porque traz mais dinamismo para o mercado. E assinalou que enquanto a tecnologia 5GNSA (non stand alone, que é implementada a partir do padrão 4G) e a 5GSa (stand alone, que pode ser adotada a partir do zero) são padronizadas por fóruns abertos e globais,  as tecnologias Open Ran ainda não têm sequer a padronização das interfaces.

“Muito se fala no Brasil sobre Open Ran, que para mim é mais uma “quebra de estações rádio-bases em partes” do que uma “rede aberta”, pois ainda precisa de padronização das interfaces para conseguir custos menores”, afirmou o executivo durante live.

PUBLICIDADE

Cybersegurança

Motta assinalou  que a cybersegurança é uma preocupação de empresas e governos de todo o mundo por ser uma questão muito séria,  mas que deve ser tratada com políticas públicas objetivas e sem critérios discriminatórios. ” Em 2017, a Europa registrou que 72% das falhas no sistema ocorreram na camada de software”, assinalou.

Para ele, é preciso então que se enxergue o espaço cibernético como um todo, e não apenas para as redes de telecomunicações. Defendeu a necessidade de se exigir especificações mínimas de aparelhos e sistemas, com certificações internacionais e nacionais.

Anterior CEO da Oi quer leilão da 5G com "racionalidade econômica"
Próximos Viasat escolhe Leandro Gaunszer para liderar operação no Brasil