O cobre resiste: UIT aprova padrão global para o G.Fast


A União Internacional de Telecomunicações aprovou hoje (5), em Genebra (Suíça) um padrão para adoção mundial do G.Fast, tecnologia capaz de elevar a velocidade de transmissão de dados no cobre a até 1 Gbps. O documento aprovado hoje na UIT define os aspectos da camada física do G.Fast, e segue resolução aprovada em abril com métodos para impedir interferências da tecnologia em serviços de radiodifusão.

Pelo padrão, o G.Fast deve usar fibra até o ponto de distribuição (FTTdp), a partir do qual sai a conexão DSL. Por sua vez, os pontos de distribuição não devem ficar a mais de 400 metros de distância do ponto de acesso do usuário. A especificação prevê também o uso do G.Fast no backhaul de small cells e hotspots WiFi. Em comunicado, a UIT afirma que o novo padrão vai acelerar a implementação de serviços digitais, como entrega de TV Ultra-HD 4K e 8K, streaming de vídeos por IPTV, armazenamento em nuvem e comunicação por vídeo em alta definição.

O padrão atende as demandas do Broadband Forum, conjunto de companhias que desenvolvem a tecnologia. Segundo o grupo, equipamentos já estão em fase avançada de desenvolvimento, com produtos certificados pela especificação hoje anunciada prontos para chegar ao mercado já em janeiro. O consórcio acredita, ainda, que redes G.Fast, comerciais, estejam em operação em meados de 2015, e que sejam certificadas até o final do mesmo ano.

A tecnologia é defendida por fornecedoras de infraestrutura como uma das formas de manter ativas redes legadas, economizando para as operadoras, sem deixar de entregar a maior velocidade demandada pelo consumidor. Uma das grandes defensoras, a Alcatel-Lucent, acredita, inclusive, que o cobre vai realizar conexões de até 10 Gbps nos próximos dois anos. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior RNP inaugura rede entre Petrolina e Juazeiro
Próximos Unicontrol quer economizar 25% com novo sistema de gestão