Novo smartphone Pixel 6 vem com chip produzido pelo Google


As variações do novo Pixel 6 Créditos: Divulgação
As variações do novo Pixel 6 Créditos: Divulgação

O Google apresentou hoje, 19, seus novos smartphones Pixel 6 com Android 12 e chip produzido pela própria big tech, o Tensor Chip. Com a estreia do semicondutor, a companhia promete melhor performance baseada em machine learning e inteligência artificial. Os dispositivos já estão disponíveis para a pré-venda nos Estados Unidos e chegarão às prateleiras em 28 de outubro. O modelo mais simples custa a partir de US$ 599, e o Pixel 6 Pro a partir de US$ 899. Não há previsão de lançamento no Brasil.

O Google Tensor conta processador avançado de imagens, otimização de consumo de bateria, além de CPU com 8 núcleos e GPU 20-core. A companhia informou que o CPU do Pixel 6 é 80% mais rápido do que do Pixel 5, cujo chip era da Qualcomm Snapdragon 765 G. Já o GPU tem performance 370% mais rápida. Dentro do Google Tensor, cada aplicação possui um processador segmentado do restante. No quesito segurança, o processador Titan M2 protege dados sensíveis dos usuários e senhas.

PUBLICIDADE
Google Tensor, o chip para smartphone do Google Créditos: Divulgação
Google Tensor, o chip para smartphone do Google Créditos: Divulgação

Segundo a companhia, o Pixel 6 representa um divisor de águas na integração entre hardware, software e IA. O próprio Android 12 foi pensado especialmente para os recém-lançados. O novo sistema operacional também estará disponível para aparelhos das marcas Samsung (modelos Galaxy), OnePlus, Oppo, Realme, Tecno, Vivo e Xiaomi.

O novo design do Android, intitulado Material You, busca que o Pixel 6 se adapte ao usuário, e não ao contrário. Assim, é possível o ajuste automático da interface às cores do papel de parede e widgets customizados. O sistema também indica quais dados do aparelho estão sendo utilizados pelos aplicativos e quando o microfone e câmera estão ativados.  O usuário poderá optar por desligar tanto o microfone quanto a câmera e limitar o compartilhamento de sua localização exata com aplicativos.

O novo Android 12 no Pixel 6 Créditos: Divulgação
O novo Android 12 no Pixel 6 Créditos: Divulgação

Configurações dos smartphones

O Pixel 6 Pro tem tela de 6,7 polegadas e resolução QHD LTPO, tecnologia que tem como princípio o menor consumo de bateria. A taxa de atualização de tela chega a 120 Hz. A memória RAM é de 12 GB, e o armazenamento interno varia de 128 GB a 516 GB. A bateria tem capacidade de 5.003 mAh e seu sistema de carregamento é sem fio

Já tela da versão mais básica dos smartphones mede 6,4 polegadas com resolução FHD e taxa de atualização de tela de até 90 Hz. O aparelho dispõe de 8 GB de RAM e até 256 GB de armazenamento interno, sendo que a bateria é de 4.614 mAh.

Ambos modelos possuem câmera principal de 50 MP e outra ultra wide de 12 MP. Somado a isso, o Pixel 6 Pro tem uma lente teleobjetiva de 48 MP e uma câmera frontal de 11 MP, um pouco mais do que o do Pixel 6, de 8 MP.

Os smartphones estão equipados com modo noturno para fotos que captura 2,5 vezes mais de luz do que o Pixel 5. Outro ponto-chave é o melhoramento das lentes para destacar diferentes tons de peles, uma vez que câmeras anteriores desfavoreciam pessoas não brancas, como o modo Tom Real.

Utilizando machine learning, os celulares também corrigem fotografias desfocadas ou podem dar maior sensação de movimento. Por fim, os dispositivos permitem a retirada de objetos indesejados nas fotos.

Reconhecimento de voz

Com o Google Tensor, a companhia também avançou no reconhecimento de voz e passa a realizar traduções ao vivo, seja durante trocas de mensagens de texto ou conversas face a face.

Agora, há maior precisão na transcrição de áudios para que os usuários precisem digitar menos em mensagens de texto. O sistema também identifica comandos no momento da transcrição, como “limpar”, “enviar” e “emoji”. Isso significa que o usuário pode ditar uma mensagem para o Google e, logo depois, dizer “limpar” que o texto será apagado de forma automática.

PUBLICIDADE
Anterior Vivo abre 750 vagas de estágio, metade destinada a estudantes negros
Próximos Ericsson tem queda geral nas vendas, mas cresce na América Latina