Novo diretor de Defesa do Consumidor acha que Anatel não pode decidir só sobre banda larga


Adv Andre Luiz Lopes dos Santos

O advogado André Luiz Lopes dos Santos foi nomeado hoje, 20, pelo governo interino, como o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça. Ele atuava na secretaria, como consultor do PNUD, e já  foi do Procon SP e da Febraban.

Publicou recentemente um artigo sobre as mudanças na Lei Geral de Telecomunicações, as quais defende a necessidade de transformar a banda larga em serviço essencial, a exemplo do que foi feito com a telefonia fixa. Concorda  em ampliar os poderes da Anatel para disciplinar a oferta desse serviço.

PUBLICIDADE

Mas acha  que a Anatel não deve decidir sozinha sobre esse assunto. Escreveu:

” Como bem ressaltou a advogada Flávia Lefèvre, na audiência pública ocorrida na última terça-feira (14.06), na Comissão de Ciência e tecnologia da Câmara dos Deputados, “A Anatel não pode decidir sozinha. É necessário um debate amplo, envolvendo Anatel, Senacon, Cade e CGI, pois é inclusive assim que está expresso no Decreto 8.771/16, que regulamentou o Marco Civil da Internet. A internet não é só uma questão de infraestrutura ou modelo de negócios. É essencial para o exercício da cidadania.”

“Aos membros do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC) não basta ‘opinar’ diante de minutas ‘prontas’, previamente concebidas e colocadas em consultas públicas. O SNDC precisa trazer sua visão e sua contribuição ao processo de construção das normas. Sem isso, não estaremos dando cumprimento eficaz ao comando constitucional antes mencionado”.

Anterior Twitter compra empresa de machine learning
Próximos FCC vota liberação de mais espectro para a 5G em julho