Nova regulamentação do Padis, para chips, é editada pelo governo


A pessoa jurídica habilitada no programa de semicondutores fará jus a crédito financeiro calculado sobre o dispêndio efetivamente aplicado no trimestre anterior em atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação. A indústria esperava essa regulamentação desde o ano passado.

O governo publicou, nesta segunda-feira, 1º, decreto regulamentando o novo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores (Padis). De acordo com o texto as empresas beneficiadas terão zeradas as alíquotas do PIS/Cofins de máquinas, aparelhos, instrumentos e equipamentos, para incorporação ao ativo imobilizado da adquirente e do importador e  de ferramentas computacionais (softwares) e insumos.

Também terão reduzidas à zero o do Imposto sobre Produtos Industrializados ( IPI) incidente na importação realizada por pessoa jurídica habilitada no Padis, ou na saída do estabelecimento industrial ou equiparado em razão de aquisição efetuada no mercado interno  de máquinas, aparelhos, instrumentos e equipamentos, para incorporação ao ativo imobilizado da importadora, destinados às atividades e de ferramentas computacionais (softwares) e insumos das atividades . Por fim será zerada a alíquota  do Imposto de Importação (II) incidente sobre matéria-prima e insumos importados por pessoa jurídica habilitada no programa e sobre máquinas, aparelhos, instrumentos, equipamentos e ferramentas computacionais (softwares), para incorporação ao seu ativo imobilizado.

PUBLICIDADE

Pelo decreto, a pessoa jurídica habilitada no Padis fará jus a crédito financeiro calculado sobre o dispêndio efetivamente aplicado no trimestre anterior em atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação, multiplicado por dois inteiros e sessenta e dois centésimos. O valor do crédito financeiro não será superior a treze inteiros e dez centésimos por cento da base de cálculo do valor do investimento em pesquisa, desenvolvimento e inovação, no referido período de apuração, no mercado interno, da pessoa jurídica habilitada.

Os procedimentos para apreciação dos projetos serão estabelecidos em ato conjunto dos Ministros de Estado da Economia e da Ciência, Tecnologia e Inovações. A norma estabelecerá os critérios insumo-produto ou insumo-capacidade de produção, de forma a adequar as aquisições de bens à capacidade de utilização pela pessoa jurídica habilitada.

A pessoa jurídica habilitada no Padis investirá anualmente no país em atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação, no mínimo, o valor de 5% da base de cálculo formada pelo seu faturamento bruto no mercado interno. Compete aos Ministérios da Economia e da Ciência, Tecnologia e Inovações divulgar, a cada triênio, relatórios com os resultados econômicos e técnicos decorrentes da aplicação do disposto neste Decreto no período correspondente.

PUBLICIDADE
Anterior Proposta de Baigorri reduz para 43,4 mil erbs 5G que deverão ser instaladas
Próximos Proposta de Baigorri para o leilão 5G tem apoio da maioria no Conselho da Anatel