NIC.br lança ferramenta corporativa que avalia conformidade dos acessos à internet


Nic.br

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) desenvolveu a ferramenta TOP (Teste Os Padrões), que analisa a adesão de serviços de internet, e-mail e conexão aos parâmetros técnicos internacionais modernos. O recurso está disponível na internet de forma gratuita pelo site https://top.nic.br/.

PUBLICIDADE

Após as verificações, a ferramenta fornece um diagnóstico e orientações sobre quais medidas necessário para a empesa melhorar seus serviços. A plataforma veio de uma adaptação de uma iniciativa da holandesa Internet Standards Platform. O coordenador de Projetos do NIC.br, Gilberto Zorello, a ideia que o TOP também seja utilizado pelos usuários em geral, em um segundo momento.

No teste de sites, é possível identificar se eles são acessíveis via endereço IP moderno (IPv6). O usuário também pode verificar se os nomes dos domínios são assinados, se a conexão é confiável e se as opções de segurança de aplicação estão configuradas. O mesmo ocorre com a opção que testa serviços de e-mails, que também mostra se há proteção contra e-mails de phishing.

Já para os serviços de conexão, a ferramenta avalia se a operadora ou o provedor de internet, por exemplo, já aderiu ao IPv6 e usa DNSSEC. Isso visa assegurar o conteúdo do DNS, prevenindo ataques como roubo de informações de terceiros ou alteração de dados em compras eletrônicas, por exemplo.

O TOP disponibiliza um link permanente do resultado, além de uma pontuação, que pode chegar até 100%. Quanto maior a classificação recebida com o teste, maior é a aderência das empresas aos padrões técnicos da internet.

A ferramenta indica aqueles que alcançaram 100% nos testes para site, serviços de e-mail ou em ambos. Essas empresas receberão a certificação de TOP. No caso de provedores de hospedagem, é necessário ter CNPJ ativo, e nome de domínio próprio com pontuação de 100% nos testes para site e e-mail.

Outra ferramenta lançada recentemente da Nic.br mede a qualidade de internet para consumidores, provedores de Internet e órgãos públicos brasileiros. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Brasil está "alguns anos atrasados" em IoT, alerta a Qualcomm
Próximos TIM cria diretoria especializada em vendas virtuais e canais remotos