NIC.br completa 15 anos com 4,5 milhões de domínios


O NIC.br (Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR) completou 15 anos de existência. No dia 5 de dezembro de 2005, o CGI.br formalizou a transição integral do controle de três operações para a instituição: administração dos nomes de domínios terminados em .br; e alocação dos números ASN (Números de Sistema Autônomos) e endereços IP no território nacional. O núcleo também alcançou a marca de 4,5 milhões de domínios recentemente. Ainda neste ano, o NIC.br bateu dez terabits por segundo

PUBLICIDADE

Antes do surgimento NIC.br, o domínio .br,  era administrado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Contudo, com o avanço da internet, se tornou necessário uma instituição independente, e a NIC.br herdou esse papel.

Privada e sem fins lucrativos, a instituição segue um modelo no qual os recursos arrecadados do registro de domínios são empregados no aperfeiçoamento da infraestrutura do DNS (Sistema de Nomes de Domínios) e em atividades que contribuem para o desenvolvimento da internet no país.

Com os recursos arrecadados, o NIC.br mantém o Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil; o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação; o Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações; o Centro de Estudos sobre Tecnologias Web e o IX.br.

A instituição também fornece suporte técnico e operacional ao Registro de Endereços da Internet para a América Latina e Caribe (LACNIC). Além disso, hospeda o W3C Chapter São Paulo , principal organização de padronização da World Wide Web.

Em uma das discussões mais recentes para o NIC.br está relacionada à inteligência artificial. Para a instituição, deve haver uma governança, flexível, independente e multissetorial responsável por isso, à semelhança da governança da internet.  (Com assessoria de imprensa)

 

Anterior Conexis pede mais um teste de mitigação com filtro multiponto à Anatel
Próximos Anatel autoriza Bordeaux a assumir o controle da Sercomtel