NEC fornecerá o core da rede 5G da NTT DOCOMO no Japão


A NTT DOCOMO anunciou que a NEC foi escolhida como fornecedora para o core da rede móvel 5G (5GC) compatível com o 5G Standalone (SA) que a operadora japonesa planeja lançar em 2021.

Além do 5GC, a NEC fornecerá um processador compacto de dados de usuário, o “mini UPF”, como parte do desenvolvimento do SA 5G da operadora japonesa, e atenderá às diversas necessidades da rede de quinta geração da empresa, incluindo suporte para recursos da nova tecnologia, como banda larga móvel (eMBB), comunicações massivas entre máquinas (mMTC) e comunicações ultraconfiáveis ​​ de baixa latência (URLLC).

PUBLICIDADE

A NEC já oferece para a NTT DOCOMO a rede core vEPC para LTE. O serviço 5G lançado pela operadora em março de 2020 usa uma extensão do vEPC e opera como uma rede core não autônoma (NSA). A NEC também é responsável por prover as estações LTE e as unidades de rádio 5G. Junto com esta rede central, a empresa fornecerá suporte total para os serviços 5G da NTT DOCOMO e contribuirá para a expansão dos serviços de rede de próxima geração.

“Este 5GC nos permite construir uma rede core 5G que pode acomodar com flexibilidade uma ampla variedade de necessidades e casos de uso. No futuro, a NTT DOCOMO continuará fornecendo funções de última geração, juntamente com a NEC e outros parceiros, a fim de promover mais avanços nas redes 5G”, explica Naoki Tani, gerente geral executivo da Divisão de Inovação de P&D da NTT DOCOMO, ao explicar a seleção do 5GC e mini UPF da NEC.

“A NEC continuará a apoiar a expansão do cliente em serviços 5G e a contribuir para o desenvolvimento da infraestrutura móvel de próxima geração, tanto no mercado interno quanto nos mercados globais”, afirma Atsuo Kawamura, vice-presidente executivo da unidade de negócios de serviços de rede da NEC.

A fabricante aposta na 5G para retomar espaço no fornecimento de redes de telecomunicações em função do avanço das rivais com sistemas proprietários. Além da mini UPF, a companhia vem desenvolvendo soluções que se beneficiam do ecossistema OpenRAN.

Anterior Resiliência das redes foi destaque nas comemorações de 23 anos da Anatel
Próximos Lucro da Qualcomm dispara e empresa avisa que vendas serão ainda melhores em 2021